Um grande Aldeia chamada BRASIL, por Coronel Cesar

A grande verdade é que parece que o mundo inteiro resolveu escolher o Brasil para transformá-lo numa grande aldeia.

Prezados leitores. Que desafio discorrer sobre um tema como este. Necessário talvez um conhecimento catedrático dos mais abrangentes e profundos. SERÁ?

             Na visão séria das coisas, com certeza. Teríamos que, não sei se nesta ordem obrigatoriamente, mas teríamos que começar por um domínio da história; um profundo conhecimento de antropologia; um grande conhecimento dos livros sagrados, etc, etc, etc.

            Meus prezados leitores, pela simplicidade e talvez até pela inadequação da minha enumeração de conhecimentos necessários para discorrer sobre o assunto, já dá uma perfeita noção do meu despreparo de ousar a tomar esta atitude. SERÁ?

            Eu mesmo pergunto e eu mesmo respondo: coisa nenhuma. Diante da TORRE de BABEL que se encontra o assunto INDIGENA, no Brasil, com os mandos e desmandos que presenciamos qualquer pessoa com suas faculdades mentais razoavelmente equilibradas, está capacitada a dar sua opinião sobre o assunto que trago à baila. Em vista disso é que faço minhas colocações.

            A grande verdade é que parece que o mundo inteiro resolveu escolher o Brasil para transformá-lo numa grande aldeia, onde nela serão expiados todos os pecados e reparadas todas as atrocidades que o mundo inteiro cometeu com os seus índios. Que o mundo queira tudo bem, é cômodo para ele, mas que nós aceitemos é que não consigo entender principalmente quando é feito por imposição e ou intromissão.

           Onde é que está escrito? Em que CARTA MAGNA ou LIVRO SAGRADO está previsto que cabe ao Brasil e principalmente aos brasileiros a responsabilidade de arcar com este ônus que deve ser de cada país individualmente ou no máximo deveria ser da humanidade como um todo e não somente do Brasil como parece que querem que aconteça. Se nós cometemos nossos pecados com nossos índios, o que tenho consciência que aconteceu, que nós os reparemos, o que com toda a certeza o faremos, mas com a nossa autonomia, com as nossas legislações e principalmente com os NOSSOS ÍNDIOS.

          Os erros que o resto do mundo cometeu com os seus índios são perfeitamente conhecidos por nós brasileiros e nós teremos discernimento suficiente para não cometê-los com os nossos, não será necessário que ninguém venha ditar para nós as nossas regras e principalmente nos impingir o que e como fazer.

          A questão indígena não se resume em terem mais terras disponíveis para si. Caso isto resolvesse, não teríamos tanta miséria em várias áreas onde suas terras são abundantes. A questão é muito mais abrangente.

          Como já mensionei, não podemos resolver um problema para os índios, criando outro em proporções infinitamente maior para todos nós brasileiros; índios e brancos. Neste sentido, existem áreas que devem voltar aos índios, outras que podem voltar assim como existem as que não devem e até as que não podem, sob pena de que como falei, isto nos cause um problema extremamente catastrófico para todos nós.

          Uma coisa que precisa ser estipulada como PREMISSA, e isto a grande maioria dos nossos índios sabe o que é premissa, é que a solução dos problemas dos nossos índios tem que estar atrelada à solução dos problemas dos nossos brancos, dos nossos negros, enfim, de todos que vivemos neste país, pois afinal de contas até a grande maioria dos estrangeiros que para cá vieram, vieram com o nosso consentimento e, portanto precisam ser respeitados. Qualquer solução de problema indígena que ponha em risco a sobrevivência do restante da nossa população, não deve ser aceita por ninguém, nem pelos nossos próprios índios e nem muito menos incentivada por pessoas estranhas aos nossos interesses.

          Os brasileiros que aqui estão, descendentes de portugueses, espanhóis, italianos, alemães e de outros povos que para cá vieram, não poderão ser deportados de volta às suas origens. Afinal de contas somos fruto da evolução da humanidade e como tal temos também direitos adquiridos. Se isto existe para uma propriedade que é ocupada por alguém há alguns poucos anos, o que diríamos para as gerações e gerações que vivem no Brasil há mais de quinhentos anos. Ou será que o CIMI tem um lugar reservado no céu para mandar todos nós que estamos