Pente-fino descobre armas e pés de maconha em presídio de Dourados

Por conta da atenção de dois agentes, por sorte presos não conseguiram fazer uma rebelião na última terça-feira

Por conta da atenção de dois agentes, por sorte presos não conseguiram fazer uma rebelião na última terça-feira (17), na PED (Presídio Estadual de Dourados), antigo Harry Amorin Costa, de acordo com o Sinsap-MS (Sindicato dos Servidores da Administração Penitenciária de Mato Grosso do Sul).

A ordem para a rebelião foi dada pelo PCC (Primeiro Comando da Capital), segundo o sindicato.

Seis detentos se esconderam no primeiro andar do presídio, romperam a tela e estavam a espera dos agentes que saíam das celas do andar inferior. Desconfiados da ação, os dois agentes então pediram reforço policial e posteriormente foi feita uma operação pente-fino pelos próprios agentes.

Durante a operação, foram descobertos dezenas de armas artesanais feitas com vergalhões de ferro, toucas que seriam utilizadas na rebelião e até dois pés de maconha.

Uma equipe da Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário de Mato Grosso do Sul) de Campo Grande fez uma visita no presídio na manhã desta quinta-feira (19).