O sucesso através do Planejamento Sucessório e da Estruturação Tributária

Algumas medidas adotadas pelo administrador podem oferecer mais segurança e trazer inúmeros benefícios à saúde financeira da empresa rural familiar.

No atual cenário econômico brasileiro várias são as mazelas que assombram os empresários rurais. Dentre tantos problemas enfrentados na atividade empresarial destacam-se dois: o medo da transição da primeira para a segunda geração no negócio familiar, e as implicações que isso pode gerar, e o pesado fardo suportado pelo empresário com a elevada carga tributária brasileira. Algumas medidas adotadas pelo administrador podem oferecer mais segurança e trazer inúmeros benefícios à saúde financeira da empresa rural familiar.

A Sucessão Patrimonial é, geralmente, a maior preocupação do produtor rural. Como fazer para que o patrimônio adquirido ao longo do tempo não se perca com a saída de um futuro herdeiro? Como evitar conflitos familiares durante o processo de sucessão? A gestão dos negócios é outro ponto que também desperta dúvidas: quem irá suceder o comando dos negócios? O possível sucessor tem o preparo necessário?

Nesse contexto, é indispensável destacar a importância de um Planejamento Sucessório bem feito, para que vantagens não se tornem desvantagens. No processo, a família institui instrumentos formais, através de regras juridicamente estabelecidas, e parâmetros comportamentais, que podem variar de família para família. Essas ferramentas vão permitir que o patrimônio se mantenha de forma perene, governável e racional.

Observar essa questão é ainda mais pertinente quando o patrimônio é formado por diversas atividades empresarias, uma vez que, apesar dos fortes laços familiares, a habilidade para administrar o negócio nem sempre está garantida. A falta de preparo dos herdeiros para gerir tanto o patrimônio, como os negócios, pode colocar o futuro e a continuidade da empresa em perigo.

Entre as diversas medidas possíveis de se adotar, a criação de holdings familiares aparece, na maioria dos casos, como uma das mais vantajosas. De acordo com a Safras & Cifras, empresa especialista em governança e sucessão familiar em empresas rurais, essa alternativa possibilita também a permanência dos fundadores na gestão, podendo verificar a capacidade, ou não, dos herdeiros para a administração. No caso de não identificar nos prováveis sucessores essa habilidade, ainda é possível indicar uma outra pessoa, que já tenha relação com a empresa, para dar seguimento aos negócios.

Outra grande preocupação dos empresários rurais é a redução de custos na atividade rural. Quem deseja ser minimamente competitivo na conjuntura atual deve adotar ferramentas que possibilitem um melhor desempenho em seu campo de atuação. E é baseado em um dos mais antigos mantras da atividade empresarial que se buscam alternativas para isso: