Treinador suspeito de estupro dava aula na Capital há apenas uma semana

Quanto aos procedimentos adotados, a Secretaria adiantou que “está tomando providências de acordo com o que rege o Estatuto do Servidor Público Municipal”.

Tomaz Avelar de Aquino, 56 anos - Foto: Arquivo Pessoal

A Semed (Secretaria Municipal de Educação) informou que o professor Tomaz Avelar de Aquino não tinha antecedentes criminais e tomou posse do concurso na Capital no na quarta passada (28). Seis dias depois ele foi preso em Campo Grande por ser suspeito de estuprar várias alunas em Jardim.

Por meio de nota, a secretaria esclareceu que apresentação dos antecedentes é uma das exigências para tomar posse no concurso. “A certidão apresentada pelo professor não constava qualquer registro de antecedentes criminais”.

Quanto aos procedimentos adotados, a Secretaria adiantou que “está tomando providências de acordo com o que rege o Estatuto do Servidor Público Municipal”.

O delegado que está à frente do caso, Alex Sandro Antônio, da 1ª Delegacia de Polícia de Jardim não comentou o andamento das investigações, pois o caso está em segredo de Justiça.

Estupro - A mãe de uma das meninas levou a denúncia ao Ministério Público. Ela apresentou várias fotos pornográficas da filha, que foram encaminhadas ao técnico. “Usando do cargo, ele [Tomaz] tirava fotos das alunas sob pretexto que precisava ‘avaliar’ o corpo delas para decidir se entrariam ou não no time”, detalha o delegado.

A investigação começou no sábado (3) e ainda foi apurado que o técnico também pode ter passado as fotos para outras pessoas. As idades e quantidade de vítimas não foram divulgadas, pois o caso está em segredo Justiça. “O trabalho está no começo, mas a prisão preventiva dele já foi pedida”, adiantou.

O suspeito responderá por quatro crimes sendo eles estupro, estupro de vulnerável, armazenar material pornográfico infantil e transmitir material pornográfico infantil.