Técnico de Cyborg aprova luta contra Amanda Nunes: 'É perfeita para Cris'

Jason Parillo elogia a campeã peso-galo do UFC, mas diz que a única que pode vencer a sua pupila é ela mesma, ou a aposentadoria, e critica Kunitskaya por duvidar do poder de nocaute da brasileira

Jason Parillo coloca as ataduras na mão esquerda de Cris Cyborg - Foto: Reprodução / Instagram

Para Jason Parillo, técnico de Cris Cyborg, a luta contra Amanda Nunes é a melhor que poderia ter sido casada para a sua pupila. Em entrevista ao site "MMA Junkie" o treinador falou sobre o confronto, e disse que um duelo estelar como este é importante para que Cyborg seja reconhecida mundialmente.

- Amanda Nunes é uma campeã mundial, e foi ela que desafiou Cris Cyborg, para início de conversa. Eu gostei muito. Aprovo qualquer luta que venha a colocar Cris nos holofotes. Ela merece ser reconhecida pelo mundo inteiro. Cyborg é uma das lutadoras mais dominantes do mundo, e não estou falando apenas do MMA feminino. Sendo realista, quanto maiores os nomes, maior a atenção que será dada à luta. Eu adoraria ver essa luta contra Amanda Nunes.

Para Parillo, a única pessoa que pode vencer Cris Cyborg é ela mesma. O treinador avaliou Holly Holm como a lutadora com o estilo mais perigoso para Cris Cyborg.

- A única pessoa que pode vencer Cris Cyborg é a própria Cris Cyborg, ou a aposentadoria. O tempo passa para todo mundo, ou para a maioria de nós. Para Cris eu não vejo isso acontecer. Amanda Nunes tem estilo, é uma grande lutadora, e pudemos ver isso pela forma como ela nocauteou Ronda Rousey. Mas o seu estilo é perfeito para Cyborg. Cris vai fazer a sua luta, e vai fazer o que tem que ser feito para vencer. Eu sempre achei que o pior casamento de luta para Cris seria alguém como Holly Holm. Eu sabia que ela seria a luta mais dura que teríamos pela frente. Depois dela, até agora, não vejo ninguém que possa ser mais dura para Cris do que Holly Holm.

Perguntado o que achou da declaração de Yana Kunitskaya, que antes de ser nocauteada no primeiro round por Cris Cyborg no UFC 222 disse que não via a brasileira com poder de nocautear com apenas um golpe, e que ela conseguia nocautes por seu voluma de luta, Parillo disse que a russa deve ter avaliado a força de Cyborg de forma equivocada, baseando-se na resistência que Holly Holm, sua companheira de treinos, impôs à campeã peso-pena.

- Cyborg sabe golpear. Para aquela menina pensar, ainda que por um segundo, que ela não tinha poder de nocaute, ela só pode ter concluído isso por ser companheira de treinos de Holly Holm e Holly ter conseguido suportar cinco rounds. Mas eu acho que Holly mostrou toda a sua raça naquela luta. Com sua experiência de 36 lutas no boxe, ela conseguiu se movimentar e evitar o impacto total dos golpes. Na minha opinião, Yana leu erradamente aquela luta. Cris a acertou com a sua direita e a fez ver que ela pode fazer.