Déficit do caixa estadual triplicou e saldo negativo foi de R$ 1,8 bi em 2017

No fechamento das contas de 2017, as receitas realizadas ficaram abaixo das estimadas pelo governo em R$ 3,16 bilhões.

Arrecadação do governo ficou abaixo das despesas - Foto: Divulgação

O governo de Mato Grosso do Sul não apenas fechou as contas de 2017 no vermelho, como também triplicou o déficit na comparação com o resultado de 2016. O balanço orçamentário relativo ao exercício do ano passado foi publicado na edição desta segunda-feira (19) do Diário Oficial do Estado e mostra que as despesas superaram as receitas em R$ 1,87 bilhão.

No fechamento das contas de 2017, as receitas realizadas ficaram abaixo das estimadas pelo governo em R$ 3,16 bilhões. A arrecadação prevista (valor atualizado) foi de R$ 15,79 bilhões. No entanto, em meio à economia desaquecida, entraram nos cofres estaduais R$ 12,62 bilhões. 

O governo chegou a reduzir os gastos na comparação com o que havia dotado, mesmo assim o prato que mais pesou na balança das contas do Estado foi o das despesas. Inicialmente em R$ 13,44 bilhões, a dotação foi atualizada para R$ 16,74 bilhões.

Como os valores empenhados somaram R$ 14,14 bilhões, houve um “respiro” orçamentário de R$ 2,6 bilhões (diferença entre as despesas empenhadas e a dotação atualizada).

Mesmo diminuindo os desembolsos na comparação com o que havia previsto, o governo de Mato Grosso do Sul acabou gastando mais do que o valor arrecadado. As despesas empenhadas (R$ 14,14 bilhões) superaram em R$ 1,87 bilhão as receitas realizadas (R$ 12,62 bilhões).

Três vezes mais – Este é o segundo ano consecutivo que o governo estadual encerra as contas no vermelho. No acumulado de 2016, as receitas somaram R$ 11,75 bilhões e as despesas, R$ 12,26 bilhões. O déficit ficou, assim, em R$ 501,77 milhões.

Em 2017, com aumento da diferença entre os gastos e a arrecadação, o tom vermelho do déficit ficou 3,7 vezes mais intenso. Em relação ao valor de 2016, o saldo negativo teve alta de 274% ou, em termos absolutos, de R$ 1,37 bilhão.