Prefeitura começa a definir com DNIT retirada de rotatórias para instalação de semáforos

A instalação de semáforos na principal avenida da cidade é uma reivindicação que se arrasta há 10 anos e há seis anos foi vetada pelo DNIT.

Técnicos do DNIT e diretora do DITRAN na Avenida em Sidrolândia - Fotos: Rafael Brites/Assessoria de Imprensa

A Prefeitura de Sidrolândia deve encaminhar nos próximos dias ao DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte) o projeto de reestruturação viária necessária para viabilizar a retirada das duas rotatórias na Avenida Dorvalino dos Santos para a implantação de semáforos. Optou-se pela remoção das rotatórias, sendo descartada a possibilidade de semaforização, alternativa posta em prática em Campo Grande na rotatória das avenidas Mato Grosso com Nelly Martins.

A instalação de semáforos na principal avenida da cidade é uma reivindicação que se arrasta há 10 anos e há seis anos foi vetada pelo DNIT, que na época, alegou não haver veículos suficientes para justificar a intervenção. A questão foi retomada ano passado, com pressão da opinião depois que uma ciclista morreu atropelada na rotatória da Dorvalino com a João Márcio em setembro, e um acidente, com vários veículos, na rotatória com a Rua Ponta Porã.

Com o veto à conversão à esquerda (o semáforo em três tempos foi descartado por causa do risco de congestionamento), será preciso indicar as vias que servirão de alça de acesso para quem quer seguir pela João Marcio Ferreira Terra ou pela Ponta Porã.

Na semana passada dois técnicos do DNIT estiveram na cidade e acompanhados da diretora da Divisão Municipal de Trânsito, Flávia Fernandes, visitaram os dois locais e toda a extensão da Dorvalino dos Santos, que é o prolongamento na área urbana da BR-060, daí a necessidade de aval da autarquia federal para qualquer intervenção. A partir daí, o projeto será encaminhado ao Detran que vai adquirir os conjuntos semafóricos. O processo de compra ainda depende de licitação que deve ser aberta em abril.

Basicamente o município terá de sinalizar as vias de acesso ao Bairro São Bento (para quem vem pela Dorvalino no sentido Maracaju) e a Rua Ponta Porã, na pista contrária.

Alças de acesso

Embora a Prefeitura não tenha divulgado detalhes do projeto viário que será proposta, quem estiver vindo pela Dorvalino dos Santos (sentido Maracaju), terá de entrar na Rua Pernambuco (uma quadra antes da João Marcio), em seguida na São Paulo, para alcançar a João Márcio e seguir para o Bairro São Bento.

Na pista oposta da Dorvalino (sentido Maracaju/Campo Grande), a opção de quem quiser subir a João Márcio será fazer a conversão uma rua antes, subindo pela Rua Amazonas e por qualquer uma das ruas transversais, alcançar a via. Já para aqueles que desejem entrar na Ponta Porã e seu prolongamento, a MS-162, a alternativa mais viável é subir pela Avenida Aroeira, entrar na Rua Paraná e daí chegar a Ponta Porã e seguir viagem na direção do Quebra Coco.