Supersafra de soja garante 79% dos novos empregos gerados em fevereiro em Sidrolândia

Sidrolândia está em sexto lugar, num ranking liderado por Campo Grande. No acumulado do bimestre, são 143 empregos.

Supersafra de soja garante 79% dos novos empregos gerados em fevereiro em Sidrolândia - Foto: Divulgação

Sidrolândia fechou o mês de fevereiro com um saldo positivo de 122 novos empregos com carteira assinada, representando um incremento de 480% sobre o resultado de janeiro, quando foram abertas 21 novas oportunidades de trabalho com carteira assinada. A cidade está em sexto lugar, num ranking liderado por Campo Grande. Em igual período de 2017, foram 152 novos empregos, em 2016, 95 empregos e em 2014, só 21.

No acumulado do bimestre, são 143 empregos, melhor desempenho que o de 2017 (saldo de 115 empregos). Nestes primeiros dois meses do ano, a supersafra de soja, agregando o setor agrícola e o segmento de serviços relacionado à colheita, a entrada em funcionamento do complexo de armazenagem da Coamo, respondeu por 106 dos novos empregos, 74% do total; superando a indústria, que gerou apenas 29 novos empregos e em fevereiro, teve saldo negativo de 2 empregos, com 119 dispensas, ante os 121 desligamentos.

O setor industrial passa por um período de estabilização na oferta de empregos, depois de registrar no último quadrimestre de 2017, a abertura de 211 novas vagas, crescimento puxado basicamente pela entrada em funcionamento do Frigorífico Balbinos e ampliação do quadro da Seara/JBS. Ao longo do ano, foram 433 novos empregos no segmento, 77% dos 577 empregos que a economia da cidade gerou em 2017.

Cenário estadual

Depois de avanço expressivo na criação de empregos em janeiro, o mercado de trabalho de Mato Grosso do Sul continuou, no mês passado, apresentando resultado considerável. Dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgados, nesta sexta-feira (23), pelo Ministério do Trabalho, mostram que as contratações superaram em 3.280 vagas as demissões no estado. Este é o maior saldo para o período desde 2015.

No mês passado, as empresas sul-mato-grossenses contrataram 21.328 e demitiram 18.048 trabalhadores. Com isso, o estoque (quantidade total) de empregados com carteira assinada no estado ficou em 511 mil.

O saldo, de 3.280 postos, é 30% superior ao de igual mês de 2017, de 2.517. No mesmo mês dos anos anteriores, os resultados foram de 1.124 (2016) e de 1.574 (2015). Em fevereiro de 2014, foram criados 4.362 vagas.

Os setores de serviços (1.527 postos) e o da agropecuária (1.282) foram os que mais impulsionaram o avanço do emprego em Mato Grosso do Sul no mês passado. Apenas os serviços industriais de utilidade pública (-14 vagas) apresentou saldo negativo.

Os demais segmentos fecharam o mês com os seguintes saldos: indústria da transformação (201), extrativa mineral (17), construção civil (143), comércio (122) e administração pública (2). (Com informações Campo Grande News).