Juro do cartão sobe 5,9 pontos em fevereiro e atinge 333,9% ao ano, diz BC

Já a taxa média cobrada no cheque especial teve leve queda e atingiu no mês passado 324,1% ao ano.

- Foto: Divulgação

pós três meses de queda, os juros do cartão de crédito rotativo voltaram a crescer em fevereiro e atingiram 339,9% ao ano, informou nesta segunda-feira (26) o Banco Central. A alta foi de 5,9 pontos percentuais na comparação com a taxa registrada em janeiro (327,9%).

No ano passado, o Banco Central mudou as regras para uso do crédito rotativo do cartão, que é quando o cliente não paga o total da fatura. Desde então, o consumidor só pode fazer o pagamento mínimo de 15% do cartão por um mês. Na fatura seguinte, o banco não pode mais estender a dívida e o cliente tem que escolher entre pagar o valor total ou parcelar o débito, com juros mais baixos.

O objetivo da medida, segundo o governo, era reduzir os juros do rotativo, que ultrapassava os 500% ao ano. Esse resultado foi parcialmente alcançado, uma vez que essa taxa tem caído gradualmente. Entretanto, a taxa ainda se encontra em patamar muito elevado.

Cheque especial

O cheque especial, outra modalidade que cobra taxas elevadas do cliente, registrou pequena queda em fevereiro e fechou em 324,1% ao ano. Em janeiro, a taxa do cartão estava em 324,7% ao ano.

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou, no mês passado, que a autoridade monetária estuda "várias coisas" visando a queda das taxas cobradas pelos bancos.

Quando se leva em consideração todas as operações de crédito para pessoas físicas e empresas, os juros médios em fevereiro ficaram em 26,9% ao ano, informou o Banco Central.