Cruzeiro busca repetir feito raro no atual formato do Mineiro para ser campeão

Em apenas uma ocasião o time derrotado no jogo de ida da final levou a taça, e foi a Raposa

Cruzeiro precisa vencer por pelo menos dois gols de diferença para ser campeão - Foto: Washington Alves/Light Press

O Cruzeiro vai em busca de algo raro para sagrar-se campeão mineiro de 2018: inverter no jogo de volta a vantagem aberta pelo adversário na partida de ida de uma decisão de Campeonato Mineiro. A má notícia: em 14 edições finalizadas do Estadual, desde que a atual fórmula de disputa foi adotada, apenas uma vez o clube derrotado na ida conseguiu sair com a taça no duelo de volta. A boa notícia: esse feito único é do Cruzeiro.

Na final de 2018, o Atlético-MG largou na frente ao ganhar por 3 a 1 no Independência. Para erguer o troféu no domingo que vem, no Mineirão, o Cruzeiro vai precisar vencer por pelo menos dois gols de diferença. O Atlético-MG chegou a abrir 3 a 0 no placar, mas o gol de Arrascaeta, aos 37 minutos da etapa final, renovou as esperanças celestes na decisão.

- É um gol que deixa aberta a final. Vamos ter que jogar mais? Claro que vamos ter que jogar mais. Acho que o Atlético mereceu vencer. Mas o placar estava muito dilatado pelo o que as equipes apresentaram. Na última parte, corremos um pouco mais de risco, o Atlético ainda teve duas ou três chances. Precipitamos e deixamos de ter a tranquilidade para criar as jogadas e deixamos a vantagem do lado do nosso adversário. Vamos ter que recuperar na semana que vem. Acho que temos condições de fazer - disse o comandante Mano Menezes.

A história mostra que não é fácil. De 2014 para cá, largar na frente na decisão é um passo importante. Em oito oportunidades, houve vencedor do jogo de ida. Em apenas uma edição o derrotado no primeiro confronto foi o campeão. Aconteceu em 2011. O Atlético-MG venceu por 2 a 1. Na volta, o Cruzeiro ganhou por 2 a 0 e festejou o título.

Em 2004, em mais um clássico, o Cruzeiro fez 3 a 1 na ida e perdeu por apenas 1 a 0 na volta. Em 2007, o Atlético-MG aplicou 4 a 0 no primeiro duelo. Depois, ergueu a taça após derrota por 2 a 0. Em 2008 e 2009, duas goleadas do Cruzeiro por 5 a 0 na ida, e, na volta, nova vitória celeste por 1 a 0 e empate por 1 a 1, respectivamente.

Em 2010 e 2013, foi a vez do Atlético-MG vencer as partidas de ida: 3 a 2, no Ipatinga, e 3 a 0, no Cruzeiro. Na volta, triunfo por 2 a 0 sobre o time do interior e derrota para o rival, por 2 a 1, selando as conquistas. Em 2016, o América-MG levou a melhor no primeiro jogo da final (2 a 1), e o Atlético-MG não passou do empate na finalíssima.

Apesar do retrospecto desfavorável, Mano Menezes acredita que é possível vencer o Atlético-MG por dois gols de diferença no próximo domingo, no Mineirão. Para isso, o primeiro passo é evitar novo apagão. Na partida de ida, o Cruzeiro levou os três gols em um intervalo de menos de 10 minutos.

- Agora cabe a nós darmos uma resposta positiva para o nosso torcedor. Espero o torcedor no estádio. Esperamos uma equipe melhor do que fomos na primeira partida, principalmente no que fomos nos 20, 25 minutos finais do primeiro tempo. É isso que temos que fazer, e vamos fazer.

Campeões após vitória no jogo de ida

2004
Cruzeiro 3 x 1 Atlético-MG
Atlético-MG 1 x 0 Cruzeiro*

2007
Atlético 4 x 0 Cruzeiro
Cruzeiro 2 x 0 Atlético*

2008
Atlético 0 x 5 Cruzeiro
Cruzeiro* 1 x 0 Atlético

2009
Cruzeiro* 5 x 0 Atlético
Atlético 1 x 1 Cruzeiro

2010
Ipatinga 2 x 3 Atlético
Atlético* 2 x 0 Ipatinga

2011
Atlético 2 x 1 Cruzeiro
Cruzeiro* 2 x 0 Atlético

2013
Atlético 3 x 0 Cruzeiro
Cruzeiro 2 x 1 Atlético*

2016
América 2 x 1 Atlético
Atlético 1 x 1 América*

* Campeão