Corinthians faz reuniões, mas não avança por Balbuena

Internamente, há incômodo pela postura do atleta, que se nega a tratar com os dirigentes sobre o tema.

- Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press

O Corinthians realizou duas reuniões nos últimos dias para tratar da renovação de contrato do zagueiro Fabián Balbuena, válido até dezembro deste ano, mas não teve avanço. Ora atrapalhado pela agenda dos empresários dos atletas, ora por outros pontos envolvendo a diretoria de futebol, o balanço é que o Alvinegro segue no patamar estabelecido pelo próprio atleta desde o ano passado.

“Está tendo, teve várias reuniões, vamos ver se chega a um denominador comum. Como ele disse já, está perto”, comentou o presidente do clube, Andrés Sanchez, que recebeu a situação do jogador como uma das poucas pendências deixadas pela administração Roberto de Andrade. O ex-mandatário conseguiu renovar vínculos com Cássio e Fagner, outros dois que tinham término previsto para 2018.

Internamente, há incômodo pela postura do atleta, que se nega a tratar com os dirigentes sobre o tema. Intransigente ao deixar as negociações restritas aos seus agentes, Balbuena considera que, caso se envolvesse nas tratativas, poderia ver o seu desempenho dentro de campo ser prejudicado.

Do outro lado, Augusto Pajara e Renato Bittar, responsáveis por gerir a carreira do atleta, entendem que ele tem de ser colocado no patamar dos nomes mais bem pagos do elenco, principalmente pela valorização obtida em 2017. Além de titular da zaga campeã do Paulista e do Brasileiro, Balbuena hoje também está nos 11 iniciais da seleção paraguaia.

Aos 26 anos, o atleta assegura que não vai “enrolar” o clube até assinar um pré-contrato com outra equipe, algo que pode acontecer a partir do dia 1º de julho. Elogiado pela postura ao assinar com o clube há dois anos, quando rejeitou uma oferta financeira melhor do São Paulo, Balbuena ainda tem a confiança dos dirigentes de que realmente não deixará o Alvinegro de graça.

Para convencer o jogador a dar um final às negociações, um dirigente corintiano disse abertamente ao atleta que não atrapalharia seu futuro em caso de uma proposta “boa para ele e para o Corinthians”. Em termos práticos, no entanto, o Timão não logrou êxito nas suas tentativas.