Azambuja e Bernal confirmam aproximação, mas deixam confirmação de aliança para o futuro

A sinalização dessa suposta aliança foi a filiação do ex-BBB Fael Cordeiro e do ex-diretor presidente do Detran Gerson Claro no PP.

Azambuja e Bernal confirmam aproximação, mas deixam confirmação de aliança para o futuro - Foto: Geovanni Gomes

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), e o ex-prefeito de Campo Grande Acides Bernal (PP), confirmaram a abertura de um canal de diálogo, com uma possível aliança no futuro. “Não quer dizer cumplicidade, nem obrigação de uma aliança, mas é sinalização que existe um diálogo para o futuro fazer uma aliança”, disse Azambuja.

A sinalização dessa suposta aliança foi a filiação do ex-BBB Fael Cordeiro e do ex-diretor presidente do Detran Gerson Claro no PP. “A ida do Fael e Gerson claro é uma sinalização que existe uma afinidade”, disse o governador.

Bernal também confirmou que está dialogando com Reinaldo Azambuja. A aproximação é um pedido da executiva nacional do PP que cogita apoiar a candidatura do ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) à presidência da República. “Estamos dialogando. Não está nada fechado. Estamos dialogando com o Juiz Odilon e com Azambuja. Se Puccinelli realmente for candidato, nós também vamos aceitar conversar com ele”, disse.

Alcides Bernal contou que o próprio Gerson Claro, assim como o Fael, procurou o Diretório Estadual do partido para se filiarem. “Com a filiação destes dois nomes e também com a candidatura de Evander Vendramini a deputado, temos chance de eleger até quatro deputados estaduais pelo PP. E também a manutenção da minha candidatura a deputado federal, pois é uma meta da nacional eleger o máximo de representantes na Câmara dos Deputados”, disse.

O ex-prefeito ponderou que antes de fazer uma aliança com o PSDB tem que analisar quais serão as propostas do partido e também o plano de governo apresentado pela atual gestão. “Qualquer aliança teria que ter desde já participação efetiva no governo”, disse.