Após dar empate ao Boca, Tevez diz se sentir bem contra o Palmeiras

Carlitos ficou a maior parte do tempo no banco de reservas, onde foi o alvo predileto dos insultos dos torcedores mais próximos.

Ex-corintiano trocou camisas com o goleiro Jailson ao final da partida - Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press

Autor do gol do Boca Juniors no empate por 1 a 1 com o Palmeiras, sacramentado aos 46 minutos do segundo tempo, o atacante Tevez recordou os seus tempos de Corinthians ao analisar a partida disputada na noite de quarta-feira, no Allianz Parque. Carlitos ficou a maior parte do tempo no banco de reservas, onde foi o alvo predileto dos insultos dos torcedores mais próximos.

“Por sorte, pude fazer o gol. Eu me sinto bem contra o Palmeiras”, comentou Tevez, que não perdeu nenhum Derby disputado com a camisa do Corinthians. Foram quatro, com duas vitórias (2 a 0 e 3 a 1), dois empates (1 a 1 e 1 a 1) e um gol marcado por ele. Seriam dois se, no último desses clássicos, em 26 de março de 2006, o árbitro Cléber Wellington Abade não tivesse voltado atrás e invalidado uma bela jogada do argentino – corintianos reclamaram de interferência externa no lance.

Ao acertar a rede do Allianz Parque pelo Boca Juniors, seu clube do coração, Tevez levou a mão ao ouvido para rebater os insultos que escutou. “Fui xingado a noite toda. Faz parte do jogo, e você, com muito respeito, pode demonstrar dentro de campo. Tenho lindas recordações dos jogos contra eles”, voltou a provocar.

Graças ao gol de Tevez, o Boca Juniors passou a somar 5 pontos no grupo 8 da Libertadores, dois de desvantagem para o líder Palmeiras. As duas equipes irão se reencontrar na quarta-feira de 25 de abril, em La Bombonera.