Administrativos da educação aceitam nova proposta, mas só voltam ao trabalho na segunda-feira

Os quatro dias de greve dos funcionários interrompeu o fornecimento de merenda nas escolas que também estão sem limpeza.

Eles se reuniram agora de manhã na Escola Catarina de Abreu e deliberaram votar na assembleia - Foto: Crislaine Jara/Região News

Em greve desde terça-feira, os 60 servidores administrativos das escolas estaduais de Sidrolândia, decidiram aceitar a nova proposta salarial do Governo, mas só voltam ao trabalho na segunda-feira. Eles se reuniram agora de manhã na Escola Catarina de Abreu e deliberaram votar na assembleia, que será realizada em Campo Grande, defendendo o fim da paralisação que interrompeu a preparação de merenda, limpeza das escolas, além de fechar o serviço de secretaria das unidades escolares.

O Governo que havia oferecido 3,04% de reajuste e incorporação do abono de R$ 200,00, em março de 2019, além de um auxílio-alimentação de R$ 100,00, ontem melhorou proposta, antecipando para outubro metade do abono (R$ 100,00).

Também se comprometeu com a composição de um grupo de trabalho integrado por representantes do governo e dos servidores visando à discussão e elaboração de proposta de reestruturação da tabela salarial dos administrativos da educação.

Os quatro dias de greve dos funcionários interrompeu o fornecimento de merenda nas escolas que também estão sem limpeza. Alunos da escola Catarina Abreu divulgaram nas redes sociais fotos com os banheiros sujos e papel espalhado pelo chão das salas de aula, que eles próprios jogaram.

Foto: Reprodução/Facebook