Em Sidrolândia, campanha atrai 223 doadores de sangue e 41 de medula óssea

Dos cadastrados, 64 não estavam aptos e com isto foram coletadas 200 bolsas de sangue.

Em Sidrolândia, campanha atrai 223 doadores de sangue e 41 de medula óssea - Foto: Marcos Tomé/Região News

A Campanha de Doação de Sangue e Medula Óssea, realizada sábado na Câmara de Sidrolândia entre 8 e 14 horas, atraiu 264 pessoas, sendo 223 se cadastraram para doar sangue e 41 cadastros para doação de medula. O trabalho mobilizou 25 funcionários e foram trazidos de Campo Grande, 8 aparelhos de coleta.

Dos cadastrados, 64 não estavam aptos e com isto foram coletadas 200 bolsas de sangue. Entre os voluntários que se cadastraram, o vendedor Danilo Pereira Gonzáles, 25 anos, doador de medula óssea. Daniele da Silva, 21 anos, não só se cadastrou (para doação de medula), como também convenceu à amiga Jaine Rodrigues, 19 anos, que não conseguiu doar sangue, porque há poucos dias havia extraído um dente.

O resultado foi considerado positivo pela coordenadora de Captação do Hemosul, Joana Monteiro, que programou para dezembro uma nova campanha. “Sidrolândia é uma cidade solidária”, comentou.

Requisitos básicos para doar sangue

  • Estar em boas condições de saúde;
  • Ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos (menores de 18 anos, clique para ver documentos necessários e formulário de autorização);
  • Pesar no mínimo 50kg;
  • Estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas);
  • Estar alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação);
  • Apresentar documento original com foto recente, que permita a identificação do candidato, emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, Cartão de Identidade de Profissional Liberal, Carteira de Trabalho e Previdência Social).

Impedimentos temporários

  • Resfriado: aguardar 7 dias após desaparecimento dos sintomas;
  • Gravidez;
  • 90 dias após parto normal e 180 dias após cesariana;
  • Amamentação (se o parto ocorreu há menos de 12 meses);
  • Ingestão de bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação;
  • Tatuagem/maquiagem definitiva nos últimos 12 meses;
  • Situações nas quais há maior risco de adquirir doenças sexualmente transmissíveis: aguardar 12 meses;
  • Qualquer procedimento endoscópico (endoscopia digestiva alta, colonoscopia, rinoscopia etc): aguardar 6 meses;
  • Extração dentária (verificar uso de medicação) ou tratamento de canal (verificar medicação): por 7 dias;
  • Cirurgia odontológica com anestesia geral: por 4 semanas;
  • Acupuntura: se realizada com material descartável: 24 horas; se realizada com laser ou sementes: apto; se realizada com material sem condições de avaliação: aguardar 12 meses;
  • Vacina contra gripe: por 48 horas;
  • Herpes labial ou genital: apto após desaparecimento total das lesões;
  • Herpes Zoster: apto após 6 meses da cura (vírus Varicella Zoster);
  • Brasil: estados como Acre, Amapá, Amazonas, Rondônia, Roraima, Maranhão, Mato Grosso, Pará e Tocantins são locais onde há alta prevalência de malária. Quem esteve nesses estados deve aguardar 12 meses para doar, após o retorno;
  • EUA: quem esteve nesse país deve aguardar 30 dias para doar, após o retorno;
  • Europa: quem morou na Europa após 1980, verificar aptidão para doação no 0800550300;
  • Malária: quem esteve em países com alta prevalência de malária deve aguardar 12 meses após o retorno para doar. (critério semelhante ao dos estados brasileiros com prevalência elevada de malária);
  • Febre Amarela: quem esteve em região onde há surto da doença deve aguardar 30 dias para doar, após o retorno; se tomou a vacina, deve aguardar 04 semanas; se contraiu a doença, deve aguardar 6 meses após recuperação completa (clínica e laboratorial). Detalhes dos locais podem ser vistos no Portal da Saúde;

l Impedimentos definitivos

  • Hepatite após os 11 anos de idade;
  • Evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças infecciosas transmissíveis pelo sangue: Hepatites B e C, AIDS (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II e Doença de Chagas;
  • Uso de drogas ilícitas injetáveis;
  • Malária;
  • Hepatite após o 11º aniversário: Recusa Definitiva; Hepatite B ou C após ou antes dos 10 anos: Recusa definitiva; Hepatite por Medicamento: apto após a cura e avaliado clinicamente; Hepatite viral (A): após os 11 anos de idade, se trouxer o exame do diagnóstico da doença, será avaliado pelo médico da triagem.