Governo vai conceder incentivo para garantir sala de desossa e a geração de mais de 200 empregos no frigorífico

Frigorifico Balbinos, instalado no Jardim Paraíso, atualmente gera 350 empregos com o abate diário de 700 cabeças de gado.

Governador Reinaldo Azambuja em entrevista ao RN - Foto: Paula Lúcia/Região News

O Governo do Estado vai conceder incentivo fiscal para o Frigorífico Balbinos colocar em funcionamento a sala de desossa da indústria que começou a funcionar em dezembro do ano passado. A concessão do incentivo foi anunciada pelo governador Reinaldo Azambuja, durante sua passagem por Sidrolândia quando participou do encontro do PSDB. “Vamos trocar redução de imposto por mais emprego”, garantiu Reinaldo, que espera a geração de pelo menos 200 empregos.

O Frigorifico Balbinos, instalado nos fundos do Jardim Paraiso, atualmente gera 350 empregos com o abate diário de 700 cabeças de gado. Com o funcionamento da sala de desossa (que já está toda estruturada) terá condições de abater 1.000 cabeças e enviar para São Paulo e outros centros consumidores, a carne já cortada por peças, o que agrega valor ao produto. A indústria já está exportando alguns miúdos para a China.

Segundo o prefeito Marcelo Ascoli, com o licenciamento ambiental da obra, o Governo do Estado deve licitar e executar a via de acesso à indústria, uma avenida de 4,4 quilômetros entre a MS-162 e o frigorífico, que desviará do bairro São Bento, os caminhões boiadeiros e frigoríficos que diariamente entram e sai da indústria.

O Governo do Estado disponibilizou em outubro do ano passado os recursos (em torno de R$ 420 mil). A área que servirá de traçado da avenida (que inicialmente terá apenas uma pista) foi doada em 2014 por dois produtores rurais. O projeto esbarrou na morosidade do licenciamento ambiental, sobretudo, porque será preciso fazer uma travessia sobre a nascente de um córrego.

Alto investimento

O empreendimento, iniciado em 2013, é resultado de R$ 50 milhões em investimento. São 15 mil metros quadrados de área construída numa área de 40 hectares na região do Jardim Paraíso. Conta com uma estrutura de produção moderna, cuidados sanitários e ambientais, que além de abastecer os centros consumidores do País, tem como meta fatias do mercado externo. Os chamados miúdos brancos (bucho, tripla) já estão sendo exportados para Hong Kong.

Segundo o gerente administrativo, Guilherme Lima Fernandes, em média 50 caminhões chegam diariamente de várias cidades do Estado com o gado comprado para abater e seis carretas frigoríficos saem carregadas de carne para abastecer principalmente o mercado consumidor paulista.

Confira a reportagem produzida pelo RN no Frigorífico: