Ministério libera recursos e reforma do posto é reiniciada após 10 meses parada

Desde junho, prédio foi desocupado com a entrada em funcionamento da UPA. A intenção é concentrar na unidade o CEM e o CEO.

Pelo cronograma inicial, a reforma estaria pronta em seis meses. - Foto: Marcos Tomé/Região News

Foram retomadas nesta semana as obras de reforma da Unidade Central de Saúde, Acelino Roberto Ferreira, interrompidas desde junho de 2017, portanto 10 meses, em função do atraso no repasse dos recursos do Ministério da Saúde que só tinha liberado R$ 30 mil, 20% dos R$ 149.960,85 alocados em 2016, numa emenda parlamentar do deputado Dagoberto Nogueira.

Pelo cronograma inicial, a reforma estaria pronta em seis meses. Desde junho do ano passado, o prédio foi desocupado com a entrada em funcionamento da UPA (Unidade de Pronto Atendimento). A intenção é concentrar na unidade o CEM (Centro de Especialidades Médicas) e o centro de especialidades odontológicas. No prédio atual do CEM funcionará a Unidade Básica de Saúde da Família da área central, hoje abrigada na UBSF Cleide Piran.

Está prevista a pintura do prédio, readequação da calha, troca das portas, colocação de uma cobertura na porta de acesso, instalação de blindex nos fundos, onde há um vão livre, para evitar que nos dias de chuva acabem entrando água no segundo pavimento.

O prédio funcionou pelo menos três anos com sérios problemas de manutenção. Em outubro de 2015, por exemplo, depois de uma madrugada chuvosa, o posto ficou alagado, formando-se uma lâmina d'água de 15 centímetros no primeiro pavimento que escoou para o térreo. Foi feito um serviço emergencial para que o atendimento não fosse prejudicado. No 1º andar, funcionava as salas de reuniões, laboratório, sala do planejamento familiar e de exame.

As maiores goteiras eram na cozinha, por onde entrava a água da chuva, escorrendo pela parede, que ganharam um aspecto de sujeira lamacenta. Também foi preciso consertar o elevador que estava danificado o que prejudicava o atendimento dos cadeirantes, impossibilitados de chegar à sala do laboratório para coleta de material de exame, que ficava no andar de cima.