Conselho Regional de Educação Física move processo contra técnico acusado de abuso

O processo conduzido pelo Cref também é sigiloso e está em andamento.

- Foto: Globo Esporte

O Cref-SP (Conselho Regional de Educação Física do Estado de São Paulo) move desde 2016 um processo ético contra o ex-treinador da seleção brasileira masculina de ginástica Fernando de Carvalho Lopes, que foi acusado de abusar sexualmente de ao menos 40 atletas em reportagem veiculada domingo no Fantástico. A entidade vai incluir as novas denúncias na ação e tentar dar mais celeridade ao procedimento, que pode acarretar na cassação de seu registro.

Se comprovada infração ética, o Cref afirmou em nota ao GloboEsporte.com que "aplicará as penalidades previstas no Código de Ética, podendo inclusive cancelar o registro profissional" de Lopes, que é formado em Educação Física e funcionário concursado da Prefeitura de Diadema, que vai abrir processo para exonerá-lo.

O conselho regional paulista abriu o processo contra o ex-treinador da seleção no dia 18 de julho de 2016, tão logo tomou conhecimento da primeira acusação contra ele. Aquela ação, ingressada pelo pai de um ginasta menor de 18 anos que treinava com Lopes, foi feita em São Bernardo do Campo e corre em segredo de Justiça.

 

O processo conduzido pelo Cref também é sigiloso e está em andamento. De acordo com a entidade, no último dia 27 de março a sua câmara de sindicância solicitou à Delegacia Seccional de São Bernardo, por meio de ofício, a cópia integral do inquérito policial da ação movida pelo menor de idade.

- Com a resposta da Polícia Civil, com o fim da colheita das provas e com a oitiva do profissional será elaborado do relatório final - disse o conselho, por meio de nota.

A entidade reiterou que só pode impor alguma punição a Lopes se houver o rito previsto dentro do processo ético e criminal. O ex-treinador da seleção é portador do registro número 005138-G/SP no conselho e sua situação cadastral está ativa.