Em cidade onde 12 morreram este ano, até quatro mulheres são agredidas por dia

Assaltos e arrombamentos em lojas também assustam moradores e fazem parte da lista de crimes registrados no município, neste período.

Registro de local onde uma briga generalizada, mês passado e que terminou com a morte de César Luiz de Oliveira, de 55 anos, conhecido como “Cezinha”. - Foto: Rádio Caçula

De janeiro até abril, deste ano, 12 pessoas morreram em Três Lagoas. Desse total, sete foram homicídios, sendo que em dois casos houve feminicídio e outras cinco pessoas morreram em troca de tiros com a Polícia Militar, no mês passado.

Se somadas mais três mortes ocorridas no trânsito no primeiro quadrimestre, o número sobe para 15, segundo levantamento do JPNews. Ainda conforme a publicação, em média, quatro mulheres são agredidas por dia na cidade.

Assaltos e arrombamentos em lojas também assustam moradores e fazem parte da lista de crimes registrados no município, neste período. A implantação de um botão de pânico - sistema eletrônico que permite à vítima avisar a polícia sobre a aproximação de agressor, por meio de sinal GPS-, aumento no efetivo de policiais e até reforço na segurança, instalando câmeras pela cidade, são algumas das reivindicações da população.

Levantamento 

Relatório da Secretaria estadual de Justiça e Segurança Pública aponta redução nos índices de criminalidade, neste ano, comparado ao mesmo período do ano passado. De acordo com o relatório, no primeiro quadrimestre houve 103 roubos em Três Lagoas. No mesmo período do ano passado foram 192.

Na mesma comparação, houve 838 furtos neste ano, contra 1.019 em 2017. Também houve nove roubos em empresas comerciais e 12 no mesmo período do ano passado. O número de homicídios culposos no trânsito é maior neste ano: 3. Em 2016, foram 2 casos.