Febre amarela: Brasil registra 394 mortes e 1257 casos nos últimos dez meses

Dados do Ministério se referem ao período entre julho de 2017 até 2 de maio deste ano.

Dia 'D' de vacinação contra febre amarela tem pouco movimento nas policlínicas em Santos, SP. - Foto: Solange Freitas/G1

Entre julho de 2017 e 2 de maio de 2018, o Brasil registrou 394 mortes por febre amarela, informa o último boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde. No boletim anterior, que contabilizou dados até o dia 17 de abril, o país registrava 342 mortes.

As mortes no país vêm aumentando desde que o vírus da febre amarela passou a circular em outras regiões, principalmente no Sudeste -- antes, a doença no Brasil só ocorria mais frequentemente em áreas da região amazônica.

Também nos últimos dez meses a pasta confirma 1257 casos da doença. Em relação ao número de casos, houve um incremento de 100 novos em relação aos dados do dia 17 de abril: quando 1157 infectados foram confirmados.

Uma ressalva é que o Ministério da Saúde não confirma os casos e os óbitos na mesma hora em que ocorrem; e, por isso, esses dados de agora podem ser referentes a dias anteriores. A data se refere à divulgação do Ministério da Saúde.

Com isso, a pasta informa ainda que outras 1499 notificações estão sendo investigadas e podem ser confirmadas ou descartadas nos próximos boletins.

 

Sobre o perfil demográfico da doença, os dados mostram que a maior parte dos casos ocorre em pessoas do sexo masculino, em idade economicamente ativa.

As regiões mais afetadas são aquelas que não tinham recomendação para a vacina anteriormente -- como o Sudeste. É também na região que se concentra o maior número de mortes (a única de fora aconteceu no Distrito Federal).

Um dado relevante é que São Paulo e Minas Gerais concentram 82% das mortes, segundo os dados do ministério. Confira, abaixo, a distribuição dos óbitos por estado:

 

Casos tendem a diminuir com inverno e vacina

O país espera que ações de vacinação ajudem a diminuir o número de casos e mortes. Ainda, o número de casos tende a cair a partir desse mês com a chegada do inverno, já que o vírus da febre amarela tem sua circulação mais frequente no verão.

 

O ideal é chegar a 95% de cobertura vacinal, informa a pasta. Até agora, Rio de Janeiro vacinou 55,46% e Bahia 55,03%. O Ministério da Saúde não informou a cobertura vacinal do estado de São Paulo.