Diretora de comunicação responsabiliza superlotação nos presídios pelos problemas nas delegacias

Segundo a delegada Sidnéia Tobias, diretora de comunicação, a situação denunciada pelo sindicato é recorrente também em outras unidades policiais do Estado.

Delegada Sidnéia Tobias, diretora de comunicação da Diretoria Geral da Polícia Civil - Foto: Wesley Ortiz/Top Mídia News

A direção Polícia Civil de Mato Grosso do Sul admite que são procedentes as denúncias do Sindicato dos Policiais que na semana passada postou vídeos nas redes sociais para denunciar a precária situação da delegacia de Sidrolândia. Na postagem, o presidente do Sindicato reclamou que enquanto os policiais não têm condições de trabalho, foram instalados climatizadores (para aliviar o calor nas celas) e aparelhos de tv para os presos se distraírem.

Segundo a delegada Sidnéia Tobias, diretora de comunicação da Diretoria Geral da Polícia Civil, a situação denunciada pelo sindicato é recorrente também em outras unidades policiais do Estado.

Ela exime de culpa a Secretaria de Justiça e Segurança Pública, prefere atribuir os problemas a superlotação dos presídios de Mato Grosso do Sul e também à morosidade do Judiciário já que os presos ficariam sob a guarda da polícia civil pelo menos até a instrução de julgamento, o que pode demorar até meses.

“Os policiais civis, de fato, ficam em desvio de função e a grande consequência é a pouca agilidade nas investigações, já que eles acabam tendo que fazer a função de agentes penitenciários”, destaca Sidnéia Tobias, que também afirma que o ideal seria que os presos ficassem sob a tutela da Agepen (Agencia Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) tão logo o prazo máximo de 30 dias se extinguisse.

“Assim, os presos ficariam nas condições apropriadas, com direito ao banho de sol, às visitas, aos programas de ressocialização e a outros serviços penitenciários. Da mesma forma, os policiais poderiam se dedicar à atividade-fim, que é a investigação”, explica à delegada.

 

"Presos de Sidrolândia tem até climatizadores enquanto que policiais estão sem condições de trabalho", denuncia Sinpol

"Presos em Sidrolândia tem até climatizadores, enquanto que policiais estão sem condições de trabalho", denuncia Sinpol

Publicado por Regiao News em Quinta-feira, 3 de maio de 2018