Prefeitos aguardam com expectativa aprovação de mudanças na Lei Kandir

Segundo o texto do parlamentar, os recursos devem ser regulares e estáveis, permitindo um melhor planejamento orçamentário.

- Foto: Divulgação

Os prefeitos aguardam com grande expectativa a apreciação do parecer da Comissão Mista Especial que analisa mudanças na Lei Kandir. A matéria está agendada para as 14h30 desta terça-feira (8), segundo o site oficial do Senado. 

Sob responsabilidade do senador Wellington Fagundes (PR-MT), que apresentou a versão final na quinta-feira (3), o relatório tem a contribuição da CNM, a qual a Assomasul é filiada, e  traz as diretrizes para a compensação da União aos Estados, Distrito Federal e Municípios pela perda de arrecadação com a desoneração de produtos primários e semielaborados para exportação. Segundo o texto do parlamentar, os recursos devem ser regulares e estáveis, permitindo um melhor planejamento orçamentário.

Propõe-se ainda que montante devido aos governos estaduais e municipais a cada exercício será de R$ 39 bilhões, corrigidos pelo IPCA, sendo entregues R$ 19,5 bilhões em 2019 e R$ 29,25 bilhões em 2020, seguindo um período de transição de dois anos. As perdas de arrecadação acumuladas desde 1996 deverão ser repostas em até 30 anos.

De acordo com o estabelecido no relatório, do total de R$ 39 bilhões, 40% serão rateados segundo coeficientes fixos e 60% segundo dois critérios variáveis: as exportações de produtos primários e semielaborados; e os saldos positivos da balança comercial. Os critérios serão apurados anualmente pelo TCU (Tribunal de Contas da União), com o apoio do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, tendo como base a performance exportadora de cada ente para períodos de cinco anos.

A Comissão, criada no ano passado, recebeu uma primeira minuta de relatório com sugestão de projeto de lei complementar do senador Fagundes em outubro, mas o parlamentar decidiu apresentar nova proposta após receber contribuições de técnicos do Comsefaz (Comitê dos Secretários de Estado da Fazenda), de parlamentares e entidades representativas.