Execuções não param e brasileiro é morto a facadas e corpo jogado na rua

Polícia suspeita que homem seja mais uma vítima de grupo de extermínio conhecido como “Justiceiros da Fronteira”

Corpo de brasileiro foi deixado em uma rua em área desabitada de Pedro Juan Caballero - Foto: Porã News

Mais uma pessoa foi morta na fronteira entre Paraguai e Brasil, em Mato Grosso do Sul. Um cidadão brasileiro foi encontrado morto na manhã de hoje (7) em Pedro Juan Caballero, cidade paraguaia vizinha de Ponta Porã, a 323 km de Campo Grande.

O homem ainda não identificado, mas que era conhecido como “Neguinho”, foi morto com vários golpes de faca e o corpo jogado em uma área desabitada do bairro Carolina II.

Policiais da Divisão de Homicídios e a assistente do Ministério Público do Paraguai Ramona Areco foram ao local do crime para iniciar a investigação. A suspeita é que o brasileiro tenha sido morto durante a madrugada. O corpo foi encontrado por moradores que passavam pelo local.

A polícia paraguaia investiga se o brasileiro foi mais uma vítima de um grupo de extermínio que age na Linha Internacional entre as duas cidades. Conhecida como os “Justiceiros da Fronteira”, a quadrilha é apontada como responsável por mortes de pessoas envolvidas com pequenos delitos e com o microtráfico de drogas.

Na semana passada, o paraguaio Milciades Arce Aguirre, 26, conhecido como “Cale”, foi sequestrado de sua casa em Pedro Juan Caballero e degolado. O corpo foi encontrado dois dias após o sequestro, a 2 km da residência onde o rapaz morava com a família.

Um dos homens suspeitos do crime já foi identificado. Trata-se do também paraguaio Cornélio Jara Bogarin, o “Lembu”, conhecido no submundo do crime por envolvimento com o tráfico de drogas e apontado como informante da polícia. Cale era conhecido na cidade por arrumar confusão com os vizinhos quando consumia bebida alcoólica.