Ex-ministro chinês é condenado à prisão perpétua por aceitar propinas

Entre 2002 e 2017, Sun Zhengcai recebeu US$ 27 milhões em propinas.

Sun Zhengcai, ex-ministro da Agricultura da China e antigo secretário-geral do Partido Comunista (PCCh) - Foto: Wang Zhao / AFP Photo

Um antigo membro do alto comitê do Partido Comunista da China (PCC), Sun Zhengcai, que chegou a ser considerado como uma figura emergente do país, foi condenado à prisão perpétua por suborno e se tornou a vítima mais recente de uma campanha de combate à corrupção iniciada pelo presidente Xi Jinping.

Sun Zhengcai foi declarado culpado de aceitar o total de 170 milhões de iuanes (US$ 26,7 milhões) em subornos, informou o Primeiro Tribunal Popular Intermediário de Tianjin em seu site.

A sentença também determina o confisco total dos bens de Sun Zhengcai e a restituição dos ganhos ilegais.

Antes de cair em desgraça, Sun Zhengcai, 54 anos, era o membro mais jovem do comitê político do PCC e considerado um possível candidato ao Comitê Central permanente da direção do partido, integrado por sete membros e que concentra o poder na China.

Para muitos, se perfilava ainda como o sucessor do presidente Xi Jinping.

Durante o processo, que aconteceu em 12 de abril, Sun se declarou culpado e disse estar "arrependido". Segundo a acusação, Sun aceitou ao longo de sua carreira dinheiro e presentes em troca da ajuda para o acesso a cargos públicos e contratos.

O tribunal destacou que a pena foi "indulgente" diante da disposição do réu de colaborar com a investigação.

Segundo a sentença, as ações de Sun Zhengcai "prejudicaram gravemente o funcionamento normal das organizações nacionais e a integridade da conduta de funcionários públicos".

Outro condenado em 2013

Sun foi o primeiro membro do Comitê Político a ser objeto de uma investigação por corrupção nos últimos cinco anos, desde a caída em desgraça de Bo Xilai, na época um potencial adversário de Xi Jinping.

Bo Xilai foi condenado em 2013 também à prisão perpétua.

Sun Zhengcai ocupava precisamente a mesma posição de Bo Xilai na direção de Chongquing, a quarta maior cidade da China e uma importante metrópole industrial do sudoeste.

Mas no ano passado, supervisores do partido responsáveis pela disciplina criticaram Sun por não ter cumprido sua missão. Sua queda aconteceu poucos meses depois.

Cruzada contra a corrupção

A cruzada contra a corrupção iniciada por Xi em 2012 segue seu curso e desde então um milhão e meio de altos funcionários foram depostos, segundo número oficiais.

Mas alguns suspeitam que Xi utiliza esta cruzada para neutralizar seus adversários.

A Assembleia Nacional do Povo ampliou esta campanha recentemente ao criar uma comissão de supervisão nacional.