Saúde faz caminhada pela paz sexta-feira e dia ‘D’ da vacinação no sábado

Em Sidrolândia há um registro de caso de paciente com sintomas da H3N2.

- Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

A Secretaria Municipal de Saúde programa para sexta-feira às 7 horas, uma caminhada pela paz que sairá da Praça Tancredo Neves, no Bairro São Bento, até a Praça Central Porfirio de Brito. A mobilização acontece na véspera do "D" da vacinação contra gripe influenza, quando os postos de saúde da área urbana e do Quebra Coco, estarão abertos a partir das 8 horas da manhã. Em Sidrolândia há um registro de caso de paciente com sintomas da H3N2.

O dado mais recente do Ministério da Saúde, que não computa a população indígena (1.785 pessoas), mostra que só 695 pessoas, 7% da população-alvo (9.926 pessoas) já foi imunizada. Das 3.189 crianças entre seis meses e menos de cinco anos, só 377 foram levadas aos postos, 11,82%. De 670 trabalhadores em saúde, 185 (27,46), se vacinaram; 83 gestantes (16,8% das 494 aguardadas); 31 puérpuras (38,27% de 81) e de 3.707 idosos, só 20 se vacinaram (0,54%).

A escolha dos grupos prioritários segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Essa definição também é respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias, que têm como principal agente o vírus da gripe. São priorizados os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias.

A vacina contra gripe é segura e reduz as complicações que podem produzir casos graves da doença, internações ou, até mesmo, óbitos. Ela protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no último ano no Hemisfério Sul, de acordo com determinação da OMS, (A/H1N1; A/H3N2 e influenza B). Neste ano, apenas a cepa da influenza A (H1N1) não foi alterada: A/Michigan/45/2015 (H1N1)pdm09; A/Singapore/INFIMH-16-0019/2016 (H3N2); e B/Phuket/3073/2013.

Nota técnica

A Secretaria Estadual de Saúde, encaminhou uma Nota Técnica para esclarecer sobre os agravos e cuidados com a Influenza. A nota, que fala sobre protocolo de tratamento, prevenção, vacinas e exames, foi encaminhada aos 79 municípios de Mato Grosso do Sul.

O texto trata do protocolo de tratamento do Ministério da Saúde – que deve ser seguido pelas unidades de saúde de atendimento à população- que preconiza o antiviral Oseltamivir (Tamiflu) para o tratamento de casos suspeitos e confirmados da Influenza.

Sobre as vacinas, a nota frisa que as doses já estão disponíveis aos municípios e que o "quantitativo recebido pelo Estado é suficiente para atender os grupos elegíveis, conforme escalonamento recomendado pela SES".

Outro esclarecimento é feito em relação aos exames que detectam a Influenza. Conforme a SES, o Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública de Mato Grosso do Sul) disponibiliza kits para a coleta de amostra para exame de Influenza e "processa as amostras em até três dias após o recebimento das mesmas". O texto diz ainda "que não é necessária confirmação laboratorial para que seja  iniciado o tratamento".

Como prevenção, todas as medidas devem ser tomadas a fim de evitar a contaminação com o vírus, "que é sazonal, ou seja, temporário, típico de determinada estação ou época e está circulando no nosso Estado e no Brasil", diz o texto.

Medidas preventivas para evitar a contaminação e proliferação: 
• Cobrir nariz e boca com lenço de papel, ao tossir ou espirrar, e descartar o lenço no lixo apos uso;
• Lavar as mãos com água e sabão com frequência, principalmente após tossir ou espirrar;
• No caso de não haver disponibilidade de água e sabão, usar álcool gel;
• Evitar tocar olhos, nariz ou boca;
• Evitar locais com aglomeração de pessoas;
• Manter locais que frequentam sempre arejados;
• Evitar contato com pessoas sintomáticas.