Prefeito assina ordem de serviço para obra de quadra no Jiboia interrompida há 19 meses

A antiga empreiteira começou a construção da quadra em fevereiro de 2015, interrompeu o serviço sete meses depois, quando a obra estava 30% concluída.

Prefeito Marcelo Ascoli e Ivanir Areco em frente a obra da Quadra do Assentamento Jiboia - Foto: Rafael Brites/Assessoria

O prefeito Marcelo Ascoli assina nesta segunda-feira (14) ordem de serviço para retomada e conclusão das obras da quadra coberta da Escola Municipal Leonida La Rosa Balbuena, do Assentamento Jiboia, iniciadas em fevereiro de 2015, interrompidas por oito meses, reiniciadas, mas paralisadas novamente, desta vez em outubro de 2016, portanto há 19 meses.

Em janeiro deste ano a Prefeitura rescindiu o contrato com a Gimenez Engenharia, vencedora da primeira licitação e promoveu uma nova concorrência, concluída em março, vencida por Gomes & Azevedo Ltda (a mesma empreiteira que está fazendo a ampliação da base operacional da Polícia Rodoviária Federal na entrada da cidade). Ganhou o certame com o orçamento de R$ 382.421,28, a maior parte dos recursos virá do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e contrapartida financeira da Prefeitura.

A antiga empreiteira começou a construção da quadra em fevereiro de 2015, interrompeu o serviço sete meses depois, quando a obra estava 30% concluída. A empreiteira foi notificada pelo menos 12 vezes pela Procuradoria Jurídica e em julho de 2016, em plena campanha eleitoral, retomou o serviço, com a promessa de que resolveria alguns problemas na estrutura construída, denunciados pela própria comunidade. Uma das vigas de sustentação da cobertura teria apresentado rachaduras e provavelmente, não suportaria o peso e haveria o risco de desabamento.

O projeto

A construção da quadra coberta da escola do Assentamento Jiboia, com 980 metros quadrados de área construída, foi orçada em R$ 494.107,35, mas a empresa só recebeu efetivamente R$ 138.350,06, o último pagamento, em 29 de dezembro de 2016, no valor de R$ 24.705,37.

Resta um saldo de aproximadamente R$ 355 mil, valor que será reajustado. A obra que deveria ficar pronta em 2016, terá de ser concluída em julho, portanto, dentro de seis meses.

Não será difícil cumprir o cronograma já que entre a nova licitação e a ordem de serviço, serão necessários pelo menos 60 dias, isto, se na concorrência não houver nenhum recurso administrativo ou judicial.

Fotos: Rafael Brites/Assessoria