Antiga usina Santa Olinda no ranking dos maiores devedores de FGTS do Estado

Companhia Brasileira de Açúcar e Álcool com dívida de R$ 12,4 milhões é a 3ª devedora de FGTS.

Usina Santa Olinda no Quebra Coco foi desativada há 3 anos. - Foto: Arquivo/Região News

A Companhia Brasileira de Açúcar e Álcool, razão social da empresa controladora da Usina Santa Olinda do Quebra Coco, desativada há três anos, com uma dívida de R$ 12,4 milhões é a terceira devedora de Fundo do Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) do Estado. É o que mostra levantamento da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional.

Cerca de 7 milhões de trabalhadores no País estão com seus depósitos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) irregulares e só em Mato Grosso do Sul são 3.844 empresas devedoras, segundo dados da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN).

O montante devido, entre as 15 maiores devedoras do Estado, chega a R$ 101.143.543,12 milhões em dívidas ativas cobradas pelo órgão. No Brasil, o valor do débito chegou a R$ 27,8 bilhões em abril. 

Segundo especialistas, as empresas costumam escolher o FGTS como uma das primeiras dívidas a não serem pagas assim que começam a sofrer com dificuldades financeiras. Muitas já se encontram em estado de recuperação judicial ou a empresa já declarou falência, o que tornaria pouco provável que o fundo recebesse o total montante devido.

Em MS, das 15 maiores devedoras, oito são usinas e duas são empresas de atividade hospitalar, além de uma empresa de transporte urbano, uma loja de materiais de construção, uma concessionária de veículos e uma empresa de atividade pecuária.

Quatro companhias estão situadas na Capital e o restante no interior do Estado, em cidades como Sidrolândia, Brasilândia, Naviraí, Coxim, Dourados e Santa Rita do Pardo.

Nacional

Segundo levantamento do Portal Uol, dos R$ 27,8 bilhões de dívidas de empresas em todo o País, algumas são de massas falidas de empresas conhecidas, como a Varig, com uma dívida de R$ 820 milhões, e a Vasp, com R$ 160 milhões. As duas lideram o ranking geral.

Dentre as 15 maiores companhias em débito no Brasil, cinco são educacionais. A Associação Sociedade Brasileira de Instrução, dona da Universidade Cândido Mendes (terceiro lugar no geral -R$ 132 milhões), e a Gama Filho (quarto lugar -R$ 130 milhões) são as que acumulam as maiores dívidas no setor.

Na lista, também aparecem grandes empresas multinacionais, como a Vale (sexto lugar, com R$ 105 milhões) ou prestadoras de serviço como a Eletropaulo (oitavo lugar -R$ 91 milhões).

Tabela:

 

*Matéria atualizada para acréscimo de informações. Com informações Correio do Estado.