Governo de MS anuncia mudanças na cobrança do ICMS do óleo diesel

Eles vão analisar o desempenho das vendas, ou seja, se vai aumentar as vendas de diesel para compensar a perda de arrecadação por conta da mudança.

Governador Reinaldo Azambuja, em Campo Grande, MS - Foto: Rodrigo Grando/ TV Morena

O governador Reinaldo Azambuja anunciou no início da noite de sábado (26) mudanças na forma de cobrar imposto do óleo diesel em Mato Grosso do Sul. O anúncio foi feito após reunião com os secretários de governo, por conta da manifestação de caminhoneiros em todo o país, que já está no 7º dia.

A partir de 1º de junho a pauta fiscal, ou seja, o valor referência para a cobrança do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do óleo diesel cai de 3,90 para 3,65. Com a medida o governo deve deixar de arrecadar entre 5 e 8 milhões de reais por mês.

Aqui no estado são vendidos entre 40 e 45 milhões de litros de óleo diesel por mês. O governo faz reuniões quinzenais para definir o valor da pauta. E eles vão analisar o desempenho das vendas, ou seja, se vai aumentar as vendas de diesel para compensar a perda de arrecadação por conta da mudança.

Reflexos

A greve dos caminhoneiros começou na segunda-feira (21). No fim de quarta-feira (23) os reflexos começavam a ser sentidos. Filas nos postos de combustíveis e redução de hortífruti. Algumas escolas do interior suspenderam aulas, assim como universidades.

Desde sábado (26) pela manhã começaram a sair carretas carregadas de combustíveis da distribuidora de Campo Grande para diversos postos da capital e de Corumbá.

As carretas que saíram para postos da capital não precisaram de escolta, somente aquelas que passariam por rodovias.