Tropa de Choque e Exército dão suporte para motorista que desistir de greve. Assista

Homens do Exército, PRF, PF e a Tropa de Choque deram suporte as negociações com os manifestantes.

Comboio do Exército passando em meio a manifestação na Avenida Dorvalino dos Santos - Marcos Tomé/Região News

Grevistas literalmente acampados desde a última segunda-feira (21) no pátio do Auto Posto Martinelli, prometem resistir caso o Exército e outras forças federais intervenham para tentar desarticular o movimento. No inicio da noite desta segunda-feira (28), policiais militares e homens da Polícia Rodoviária Federal (PRF) iniciaram uma operação para garantir segurança aos cominhoneiros que decidir seguir viagem.

Ao menos 40 homens do Exército, PRF, PF e outro tanto da Tropa de Choque sob as ordens do comando-geral da Policia Militar, deram suporte as negociações com os manifestantes. Cerca de 30 caminhões deixaram o local sob escolta policial e vaia dos colegas que decidiram permanecer na mobilização.

Caminhões deixando o pátio do Auto Posto Martinelli.

Um caminhão carregado com 10 mil quilos de gás, retido desde segunda-feira no pátio do Posto Martinelli, ponto de concentração dos caminhoneiros que estão bloqueando as rodovias em protesto contra os preços abusivos dos combustíveis, seguiu viagem para abastecer a cidade de Jardim, Bonito e Maracaju.

No inicio da tarde, o tenente coronel Erivaldo José, comandante da  8ª Companhia Independente de Sidrolândia tentou convencer os manifestantes a liberarem a carga. Como não conseguiu, informou o comando geral de que não conseguiu cumprir a determinação de escoltar a carga até Nioaque.

“Nossa missão é garantir a segurança dos motoristas que decidir deixar a greve”, explica o comandante da PM. Assista a reportagem completa.