IGP-M varia 1,38% em maio, diz FGV

Com o resultado, índice acumula alta de 3,45% no ano e de 4,26% em 12 meses - em maio de 2017, o índice havia caído 0,93% e acumulava alta de 1,57% em 12 meses.

Inflação do aluguel foi puxada por preços no atacado, entre eles combustíveis - Foto: Fábio Tito/G1

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), usado para reajustar a maioria dos contratos imobiliários, variou 1,38% em maio, após encerrar abril com variação de 0,57%.

Com este resultado, o índice acumula alta de 3,45% no ano e de 4,26% em 12 meses. Em maio de 2017, o índice havia caído 0,93% e acumulava alta de 1,57% em 12 meses. Os dados são da Fundação Getulio Vargas (FGV).

O IGP-M é calculado com base nos preços coletados entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência.

Atacado e varejo

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que mede os preços no atacado e que responde a 60% no cálculo do IGP-M, passou de 0,71% em abril para 1,97% em maio.

As principais contribuições vieram dos subgrupos:

  • Combustíveis e lubrificantes para a produção, que passou de 5,32% para 10,35%
  • Minério de ferro, de -9,53% para 10,97%
  • Aves, de -4,37% para 1,77%
  • Café (em grão), de -1,09% para 2,97%

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), relativo aos preços no varejo, que responde a 30% do cálculo, passou de 0,31% em abril para 0,26% em maio.

As principais contribuições vieram:

  • Etanol (0,16% para -3,78%)
  • Frutas (4,82% para -2,58%)
  • Roupas (0,67% para 0,13%)
  • Excursão e tour (-0,40% para -1,98%)
  • Tarifa de eletricidade residencial (1,24% para 3,05%)
  • Pacotes de telefonia fixa e internet (0,46% para 0,93%)
  • Alimentos para animais domésticos (-1,21% para -0,14%)
  • Artigos de higiene e cuidado pessoal (0,56% para 0,82%)

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), que também é usado para calcular o IGP-M, mas com peso menor do que os outros subíndices, passou de 0,28% para 0,3%.