Zagueiro ignora críticas por choro na Copa de 2014: 'Sou assim'

O defensor do Paris Saint-Germain garantiu que não há problema algum em externar seus sentimentos.

Thiago Silva foi capitão da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2014 - Foto: Pedro Martins/MoWA Press

Alvo de muitas críticas por conta de sua postura enquanto capitão da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2014, o zagueiro Thiago Silva não deu muita importância para a reprovação de seu espírito de liderança por boa parte dos brasileiros. O defensor do Paris Saint-Germain garantiu que não há problema algum em externar seus sentimentos.

“Encaro naturalmente. Sou assim e acho que o mais importante de tudo é que [meu jeito] nunca me atrapalhou dentro de campo. Em todos os jogos procurei ao máximo estar concentrado para exercer a função da melhor maneira possível. Nem todo mundo pensa igual, todos temos sentimentos. Quando você tem uma perda, uma vontade de conseguir e não consegue, naturalmente deixa o emocional chegar. Lembro que após a Copa tive uma perda muito grande, que me deixou muito mal. Não fui visitar meu padrasto antes de ir para a Europa. Isso me deixou com uma culpa muito grande, porque ele veio a falecer”, afirmou Thiago Silva nesta terça-feira.

Após chorar pouco antes do início da disputa de pênaltis contra o Chile, nas oitavas de final, Thiago Silva acabou recebendo um cartão amarelo bobo contra a Colômbia, nas quartas, ao roubar a bola do goleiro enquanto ele fazia a reposição. Desta forma, o zagueiro se livrou da vergonhosa atuação da Seleção Brasileira contra a Alemanha na semifinal, em que foi derrotada por 7 a 1 em pleno Mineirão.

“Para mim foi muito difícil. Você estando de fora, por mais que você tente passar forças positivas, você não pode ajudar diretamente no jogo. De fora você vê muita coisa que poderia ter sido feita diferente, mas não pode nem gritar, porque ninguém te escuta. No intervalo tentei falar alguma coisa para motivar. No primeiro tempo levamos cinco, ninguém esperava aquele resultado. Para mim foi mais difícil estar de fora. Muitos me falaram que foi um livramento para mim, mas me sinto culpado como todos os que estavam dentro de campo. A frustração foi de todos nós”, prosseguiu.

Passado o trauma coletivo e individual sofrido no Brasil há quatro anos, Thiago Silva quer dar a volta por cima com a camisa da Seleção Brasileira e para isso se apoia no grande trabalho que o técnico Tite vem realizando à frente do time pentacampeão mundial. Depois de participar da campanha sublime do País nas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo, o zagueiro esbanjou confiança antes do início do Mundial da Rússia.

“A expectativa é muito boa por tudo o que a gente vem apresentando nos jogos. Desde a chegada do Tite a gente teve um nível de atuação incrível e é isso o que estamos buscando, estar sempre em alto nível. Temos agora um confronto difícil no domingo, como vai ser o de estreia na Copa contra a Sérvia. A responsabilidade vai ser muito grande”, concluiu.