'Transportadora Dalazen só cumpriu decisão ao levar carga da Seara para Capital', diz empresário

Empresário afirma a empresa terceirizada seria penalizada com multa diária de R$ 10 mil por caminhão retido.

Carreta da transportadora Delazen - Foto: Marcos Tomé/Região News

A decisão da Justiça Federal concedida em favor da Seara, que garantiu a empresa a passagem das suas cargas pelos pontos de bloqueios dos caminhoneiros nas rodovias BR-162, 267 e 060, forçou as prestadoras de serviço da empresa, como a Transportadora Dalazen, a levar para o Centro de Distribuição em Campo Grande, 4 carretas, cada uma carregada com 25 toneladas de cortes de frango, que desde sábado estavam paradas em Sidrolândia, armazenadas nas câmeras frias dos caminhões. 

A saída das quatro carretas da Dalazen desagradou os manifestantes, mas segundo o proprietário, Jas César Dalazen, como a empresa é uma prestadora de serviço da Seara não tinha como não cumprir a determinação do frigorífico, sob o risco, em caso de descumprimento, de a empresa terceirizada ser penalizada com multa diária de R$ 10 mil por caminhão retido.

Sou a favor do movimento, prova disto, é que até o presente momento contribui com o que pude, mas os caminhões precisam rodar. Se não cumprir a determinação serei penalizado”, afirma o empresário por telefone a reportagem do RN.