Empresários industriais de Mato Grosso do Sul seguem confiante

Em maio, o Índice de Confiança do Empresário Industrial de Mato Grosso do Sul (ICEI/MS) alcançou 55 pontos.

- Foto: Divulgação/Fiems

Os empresários industriais de Mato Grosso do Sul seguem confiantes, conforme Sondagem Industrial realizada pelo Radar Industrial da Fiems. Em maio, o Índice de Confiança do Empresário Industrial de Mato Grosso do Sul (ICEI/MS) alcançou 55 pontos, indicando um recuo de 2,7 pontos em relação ao mês anterior, quando o índice já tinha caído 3,5 pontos.

Contudo, de acordo com o coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems, Ezequiel Resende, esse ainda foi o melhor resultado para o mês de maio dos últimos quatro anos. “O índice alcançado em maio de 2018 é 9,7 pontos maior que a média obtida para o mesmo mês considerando os anos de 2014, 2015, 2016 e 2017”, reforçou.

Ezequiel Resende acrescenta que todos os componentes de avalição das condições atuais e expectativas para os próximos seis meses ainda permanecem acima da linha divisória dos 50 pontos. “Em maio, 13,3% dos respondentes consideraram que as condições atuais da economia brasileira pioraram, no caso da economia estadual, a piora também foi apontada por 13,3% dos participantes e, com relação à própria empresa, as condições atuais estão piores para 14,7% dos empresários”, analisou.

Além disso, ainda conforme a Sondagem Industrial, para 57,4% dos empresários não teve alteração nas condições atuais da economia brasileira, sendo que em relação à economia sul-mato-grossense esse percentual foi de 55,9% e, a respeito da própria empresa, o número chegou a 57,4%. “Para 20,6% dos empresários as condições atuais da economia brasileira melhoraram”, justificou o coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems.

Já em relação à economia estadual esse percentual chegou a 22,1% e, no caso da própria empresa, o resultado foi de 20,6%, enquanto os que não fizeram qualquer tipo de avaliação responderam por 8,8%, 8,8% e 7,4%, respectivamente. “Em maio, 8,9% dos respondentes disseram que estão pessimistas em relação à economia brasileira”, destacou Ezequiel Resende.

Em relação à economia estadual, o resultado alcançou 10,3% e, quanto ao desempenho da própria empresa, o pessimismo também foi apontado por 10,3% dos empresários. Os que acreditam que a economia brasileira deve permanecer na mesma situação ficou em 48,5%, sendo que em relação à economia do estado esse percentual alcançou 47,1% e, a respeito da própria empresa, o número chegou a 36,8%. 

Por fim, 36,8% dos empresários se mostraram confiantes e acreditam que o desempenho da economia brasileira vai melhorar.  Já em relação à economia estadual, esse percentual também chegou a 36,8% e, no caso da própria empresa, 45,5% dos respondentes confiam numa melhora do desempenho apresentado. Os que não fizeram qualquer tipo de avaliação das expectativas em relação à economia brasileira, estadual e do desempenho da própria empresa responderam por 5,9%, 5,9% e 7,4%, respectivamente.