Acaba greve dos caminhoneiros, mas abastecimento de gás ainda não foi normalizado em Sidrolândia

Toda a estrutura montada no Posto Martinelli de tendas e cozinhas, foi desmontada e não havia nenhum caminhão dos grevistas.

Toda a estrutura montada no Posto Martinelli de tendas e cozinhas, foi desmontada - Foto: Marcos Tomé/Região News

Depois de 10 dias, acabou a greve dos caminhoneiros em Sidrolândia, onde até na manhã desta quarta-feira (30) ainda havia 300 caminhões e algumas maquinas agrícolas. Toda a estrutura montada no Posto Martinelli (uma espécie de quartel-general dos manifestantes) de tendas e cozinhas, foi desmontada e não havia nenhum caminhão dos grevistas.

O movimento começou a se esvaziar ontem à noite, quando o Sindicato Rural retirou o apoio da mobilização. Foram desmontados os bloqueios na saída de Campo Grande (em frente da Producel) e na MS-162 saída para o Quebra Coco. Os produtores retiraram suas máquinas que durante o dia colocaram nas ruas para uma manifestação que atravessou a cidade, em solidariedade ao movimento.

O apoio da classe produtora de Sidrolândia à mobilização não foi apenas retórica, mas se traduziu, por exemplo, no fornecimento da alimentação servida nos pontos de concentração dos manifestantes. O vereador Valdecir Carnevalli, que é dono do restaurante Casa Nova, foi visto várias vezes na linha de frente da preparação de algumas refeições.

Com a decisão do governador Reinaldo Azambuja de reduzir o ICMS do diesel de17 para 12%, combinada com o atendimento das reivindicações por parte do Governo Federal, o Sindicato avaliou não ter mais sentido continuar dando suporte a uma mobilização que poderia levar ao colapso econômico a cidade, afetando a avicultura, além do desabastecimento total.

O fato é que após 10 dias de turbulência gerada pela mobilização dos caminhoneiros que chegaram a bloquear as três entradas da cidade, Sidrolândia aos poucos volta à normalidade. Já é possível abastecer o carro sem necessidade de enfrentar filas em frente dos postos. Ainda está faltando gás de cozinha nas revendedoras. Os supermercados já conseguiram comprar frutas, verduras e legumes na Ceasa da Capital, com exceção de batata, que está em falta.

A Seara voltou a sua rotina de produção e o Frigorífico Balbinos voltará abater nesta quinta-feira, em pleno feriado.