Venda de veículos sobe 2,5% em maio, apesar de greve dos caminhoneiros

Paralisação afetou produção e abastecimento do setor. Alta acumulada é de 16,2% no ano.

Concessionária da Fiat em São Paulo - Foto: Epitácio Pessoa/Estadão Conteúdo

A venda de veículos cresceu 2,5% em maio, comparando com o mesmo mês do ano anterior, segundo a Fenabrave, a associação das concessionárias.

Apesar da greve dos caminhoneiros, que prejudicou o abastecimento das concessionárias e paralisou a produção no país, foram emplacadas 194.922 unidades de automóveis e comerciais leves.

Em maio do ano passado, foram 190.115 exemplares. No ano, a alta acumulada é de 16,2%, com 932.173 unidades, contra 802.232 nos cinco primeiros meses de 2017.

Greve atrapalha emplacamentos

 

De acordo com a Fenabrave, a greve dos caminhoneiros, que durou 8 dias úteis, impactou negativamente nos emplacamentos, derrubando a média diária em cerca de 15% entre os dias 21 e 30 de maio.

"Apuramos que, a partir do dia 25 de maio, o número de veículos emplacados começou a retrair. Este cenário ocorreu, entre outras razões, pela dificuldade de abastecimento de combustível, que fez com que os veículos, já prontos para entrega, não fossem conduzidos aos pátios dos Detrans para emplacamento", disse o presidente da entidade, Alarico Assumpção Júnior.

A Fenabrave espera que os reflexos da greve também sejam sentidos em junho, já que a produção de veículos ficou parada pela falta de peças nas fábricas.