Supermercado Nandas reduz em 7,28% preço do botijão de gás e clientes esvaziam estoque em minutos

Além de comemorar o reabastecimento do produto, consumidores postaram no facebook mensagens de agradecimentos à empresa que reduziu 7,28% o preço do produto.

Caminhão carregado com gás de cozinha descarrega carga no Supermercado Nandas - Foto: Divulgação

A reposição de gás de cozinha (GLP) em Sidrolândia ainda não foi normalizada. No final da tarde de ontem (sábado), a empresa Supergasbrás reabasteceu as revendas da cidade, mas a quantidade do produto foi insuficiente para atender a alta demanda. Em alguns locais foram registadas filas em busca da recarga.

Apesar das reclamações em decorrência dos preços praticados, o consumidor se viu obrigado a pagar até 100% mais caro do valor que vinha sendo praticado para não ficar sem o gás. A julgar pelos relatos de clientes a redação do RN, o preço chegou a variar entre R$ 85,00 e R$ 120,00, nas revendas.

Na manhã deste domingo um caminhão da empresa Copagaz, descarregou no Supermercado Nandas, loja afiliada a Rede Econômica (REDEMS), 80 botijões para atender a clientela. Em poucos minutos, o estoque foi esvaziado. Clientes usaram as redes sociais para informar amigos e parentes da chegada do produto.

Além de comemorar o reabastecimento do produto, consumidores postaram no facebook mensagens de agradecimentos à empresa que reduziu 7,28% o preço do produto. Antes da greve dos caminhoneiros, um botijão de gás no Supermercado era comercializado a R$ 70,00, com a redução, o valor caiu para R$ 64,90.

“Temos que ter a consciência da necessidade das pessoas. Ninguém compra gás para expor numa prateira. Somos todos irmãos e não há razão para explorar ninguém com preços exorbitantes num produto de necessidade básica. Aqui no mercado, reduzimos nossa margem de lucro e adotamos a venda de 1 botijão por pessoa para que pudéssemos atender o máximo de famílias”, disse o empresário Acelino Cristaldo ao RN.

Ele condenou os preços praticados no mercado que registrou alta de até 100%; “Temos que mudar esta cultura do oportunismo”, dispara. Segundo o empresário, até quarta-feira esta prevista uma nova reposição do produto no supermercado. “Logo, logo o reabastecimento estará normalizado”, conclui.