Juiz decreta preventiva de grupo que roubou carro e tinha lista de execução

Wellison de Souza Silveira, um dos integrantes do grupo, foi preso em Sidrolândia no sábado.

Quadrilha presa após o roubo ocorrido no bairro Tiradentes, na Capital - Foto: Divulgação/Choque

A Justiça decretou a prisão preventiva de uma quadrilha ligada a roubo de veículo e execução de um jovem em Campo Grande. Nesta segunda-feira (dia 4), o juiz Luís Fernando Medeiros Vieira decidiu que o grupo deve seguir atrás das grades. Wellison de Souza Silveira, um dos integrantes do grupo, foi preso em Sidrolândia no sábado, quando tentava levar para o Paraguai um Chevrolet Colbalt roubado em Campo Grande.

Além de Wellison, tiveram a prisão preventiva decretada James Deann Lucas Martins (25 anos), Valdomiro da Silva Espinoza (48 anos), Tanaize Espinoza (23 anos), Willian Martins,  e Camila Lemes Lucas (36 anos).

Do grupo, quatro serão encaminhados ao Imol (Instituto de Medicina e Odontologia Legal): James, Tanaize, Willian e Welisson. O procedimento é adotado quando há denúncia de violência ao ser preso.

Após ser abordado em Sidrolândia, Welison que estava dirigindo o Cobalt, informou que havia recebido dinheiro para ir até o Paraguai, "encher o carro de droga" e depois retornar para Campo Grande.

A polícia enviou a foto do motorista até a vítima, que confirmou que ele participou do assalto. Foi então que, com a ajuda da Tropa de Choque, o suspeito levou os policiais militares até a casa do restante da quadrilha, na rua Borborema, no bairro Noroeste. Após entrar no local foi feita a prisão de Valdomiro, James, Tanaize e Willian Martins. Edson não participou da audiência de custódia. 

Lista do PCC - Após ação do Batalhão do Choque, foram apreendidos um revólver calibre 38, dois carregadores de metralhadora, duas pistolas 9 milímetros, vários papeis com mandamentos do PCC (Primeiro Comando da Capital) e uma lista com nomes de cinco pessoas. Entre elas estava o de Jamsonn Luiz Cordeiro, de 19 anos, que foi assassinado na última quarta-feira (30), com um tiro na cabeça.

James Deann confessou o crime. Em anotações apreendidas pela polícia, ele descreve que Jamsonn foi morto depois de ter postado em rede social uma foto ao lado de um homem chamado Igor, fazendo o símbolo da facção criminosa CV (Comando Vermelho) com os dedos.

Nas anotações, consta ainda que antes de ser morto, Jamsonn disse os nomes de outros integrantes do CV. A lista ainda tem um nome de outra pessoa que foi morta, mas o nome não foi divulgado. Já as outras três pessoas da lista não teriam sofrido represália.

Execução – O corpo de Jamsonn Luiz Cordeiro foi encontrado em 30 de maio na avenida Flores da Cunha, no Jardim Noroeste. Em 2013, Jamsonn matou o irmão, Gílson Eduardo Cordeiro, 16 anos, na Rua Evaristo da Veiga, no mesmo bairro, para defender a mãe. (Com informações Campo Grande News).