Comerciante agredido e baleado por marginais está em estado grave, com traumatismo craniano

Comerciante Alcindo Gouvêa está internado em estado grave. Nos últimos 3 anos esta é a 4ª vez que ele é assaltado.

Mercearia do comerciante Alcindo Gouvêa na Avenida Aquidaban. Local onde aconteceu as agressões - Foto: Vanderi Tomé/Região News

O comerciante Alcindo Gouvêa, 69 anos, agredido e baleado por marginais que assaltaram ontem à tarde sua mercearia na Avenida Aquidaban, está internado em estado grave na Santa Casa, entubado e sedado, na ala vermelha, com ferimento no braço direito e traumatismo craniano. Ele deu entrada no hospital por volta das 17h15.

Por volta das 14h28 de ontem, uma guarnição da Polícia Militar foi acionada para atender uma ocorrência na mercearia que funciona no mesmo terreno da casa do idoso. Lá os policiais se depararam com tudo revirado e o comerciante coberto de sangue, com ferimento a bala no braço direito.

Nada foi levado porque a vítima entrou em luta corporal com o ladrão que além de disparar contra o senhor Alcindo, o atingiu na cabeça com um pedaço de pau. O bandido fugiu em seguida numa motocicleta.

Nos últimos três anos esta é a quarta vez que o comerciante é alvo de marginais. No dia 2 de julho de 2015, por exemplo, marginais armados entraram na mercearia e o renderam. O comerciante aproveitou-se de um momento de descuido dos bandidos e conseguiu escapar.

No dia 23 de junho de 2016 depois de flagrar o furto de bolachas e de uma lata de refrigerante, Alcindo saiu na perseguição dos ladrões e com a ajuda de populares conseguiu apreender um deles, na esquina das ruas Paraná e Rio de Janeiro.

Com J.M.C, de 17 anos, o comerciante encontrou dois pacotes de bolacha Passatempo, um pacote de pão de mel e refrigerante. O outro jovem envolvido, A.L.C. B, 16 anos, conhecido como Foguinho, conseguiu fugir.