Sanesul já trocou 570 metros da rede de água na João Marcio Ferreira Terra

Nesta quinta-feira está sendo feito o serviço de recomposição do asfalto que foi quebrado para abertura de valetas.

Rua João Márcio está recebendo reparos onde o serviço já foi feito - Foto: Vanderi Tomé/Região News

Depois de quatro semanas, a empreiteira Trento contratada para executar o serviço, já substituiu 570 metros da rede de água na Rua João Márcio Ferreira Terra, abrangendo o trecho entre o Bom Samatarino (na região do Paraíso) e a Praça Tancredo Neves, proximidades da Escola Porfiria do Nascimento. Em toda a cidade em 10 quilômetros de rede os canos de cimento amianto serão substituídos por material plástico, PVC.

Nesta quinta-feira está sendo feito o serviço de recomposição do asfalto que foi quebrado para abertura de valetas. A previsão é que até manhã o serviço chegue na altura dos trilhos e a partir da próxima semana, avance no trecho da João Márcio após a Avenida Dorvalino dos Santos. Os cavaletes em cimento amianto das ligações domiciliares também serão trocados.

Com recursos da Funasa (Fundação Nacional de Saúde) serão investidos quase R$ 1 milhão no projeto que prevê ainda a troca dos ramais de ligação domiciliar, reparos no pavimento e nos trechos das calçadas danificados. O serviço começa pela Rua João Márcio Ferreira Terra e será feito também nas ruas Paraíba, Rio Grande do Sul, Prefeito Jaime Ferreira, Alagoas, São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás, Mato Grosso, Santa Catarina e Lúcia de Souza Melo.

De acordo com a Sanesul, a troca do encanamento, que já foi feita nas ruas no entorno da Praça Central, reduzirá os vazamentos e em consequência, evitará a danificação do pavimento com abertura de valetas para os reparos. Outro desdobramento positivo é o aproveitamento dos 40% de perdas da água produzidas nos diferentes poços de abastecimento da rede. Investimento.

A troca dos canos de amianto por PVC, faz parte de um investimento de R$ 2,5 milhões, recursos da Funasa. O projeto inclui a implantação de uma adutora de 1.875 metros, que levará água produzida no superpoço que está sendo perfurado nos altos da Rua Mato Grosso, aos reservatórios (um apoiado e outro elevado) com capacidade total de 1.150 milhão de litros em fase final de construção numa área no Loteamento Nova Era.