Preço do diesel em Sidrolândia está até R$ 0,6O mais barato

No Posto Vacaria, por exemplo, preço do diesel comum caiu de R$ 4,259 para R$ 3,659 e do S-10 para R$ 3,759.

Auto Posto Vacaria em Sidrolândia - Foto: Vanderi Tomé/Região News

Pelo menos em Sidrolândia, o acordo que pôs fim à greve dos caminhoneiros, com descontos oferecidos pelo Governo Federal para baratear o preço do combustível e redução do ICMS de 17 para 12%, está beneficiando o consumidor. Os postos estão vendendo o óleo diesel até R$ 0,60 mais barato por litro, em relação aos valores cobrados antes da mobilização. No Auto Posto Vacaria, por exemplo, o preço do diesel comum caiu de R$ 4,259 para R$ 3,659 e o do S-10, de R$ 4,359,00 para R$ 3,759.

O diesel também está mais barato no Posto São Bento, onde o litro caiu R$ 0,59 de R$ 4,259 para R$ 3,799. No Posto Global, o preço caiu R$ 0,41 correspondente ao desconto dado pelo Governo Federal na compra das distribuidoras nas refinarias e R$ 0,18 do repasse da redução do ICMS. No caso do diesel S-500, o litro de R$ 4,299, valor de revenda no dia 21 de maio, caiu para R$ 3,709. O diesel S-10, passou de R$ 4,389 para R$ 3,799. Numa tanqueada de 50 litros, a redução, garante uma economia de até R$ 30,00.

Em Campo Grande a redução de preço varia entre R$ 0,30 e R$ 0,60. No Posto Tereré, na Avenida Afonso Pena, a redução chegou ao máximo, de 60 centavos. O diesel s10 que era vendido por R$ 4,09 antes da greve dos caminhoneiros e agora é vendido por R$ 3,49, R$ 0,04 mais barato que o menor preço praticado em Sidrolândia.

No Posto Ipiranga da Avenida Ceará com a Coronel Antonino a redução é de 42 centavos. No local o diesel aditivado era vendido por R$ 3,99, mas agora pode ser encontrado por R$ 3,57. Já o diesel s10 custava R$ 4,09 e agora é vendido por R$ 3,67.

Preço alto

O preço do diesel combustível continua mais alto do que antes da greve dos caminhoneiros em pelo menos quatro estados brasileiros e no Distrito Federal. Embora tenha havido concessão de subsídios ao óleo diesel, a redução nos preços não chegou nas bombas.

Segundo destaca a Folha de S. Paulo, o governo Michel Temer fez acordo com os caminhoneiros e concedeu subsídio de R$ 0,30 ao preço do diesel nas refinarias e importações e reduziu impostos, com a promessa de cortar o preço na bomba em R$ 0,46 por litro. Em seis, o preço caiu menos de R$ 0,10.

A média nacional registrou queda de apenas R$ 0,11 na comparação com a semana anterior à greve dos caminhoneiros, de acordo com a pesquisa semanal de preços da ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis).

Em outros seis estados (Bahia, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Roraima e Tocantins) a redução com relação ao valor vigente antes da greve dos caminhoneiros é menor do que R$ 0,10 por litro. Na Paraíba, foi de apenas R$ 0,01.

As maiores quedas registradas pela ANP foram no Amapá (R$ 0,25 por litro) e em Sergipe (R$ 0,25 por litro). Em São Paulo, a redução média no preço do diesel foi de R$ 0,12 por litro.

A pesquisa da ANP indica que, em Pernambuco, Acre, Alagoas e Maranhão, o diesel ainda está mais caro do que antes da paralisação.

A greve provocou crise de desabastecimento e os preços dispararam depois do início da paralisação.

A Folha destaca ainda que o Governo Federal reconheceu que os repasses não chegariam a R$ 0,46 em um primeiro momento, limitando-se ao máximo de R$ 0,41 por litro. O restante dependeria de renovação de estoques dos postos e corte de impostos estaduais.