Captação de órgãos realizada na Santa Casa vai salvar, ao menos, 7 vidas

Somente neste ano, já foram realizadas pelo hospital 17 procedimentos.

Cirurgia realizada nesta terça-feira (12) para retirada de órgãos de um paciente, que irão beneficiar, ao todo, sete pessoas de MS, AC e SP. - Foto: Assessoria/Santa Casa de CG

A Santa Casa de Campo Grande iniciou, na tarde desta terça-feira (12), a captação de órgãos de um paciente de 30 anos que irão beneficiar, pelo menos, sete pessoas de Mato Grosso do Sul, São Paulo e Acre. Somente neste ano, já foram realizadas pelo hospital 17 procedimentos.

A cirurgia para retirada do coração, pâncreas, córneas, rins e fígado. O coração foi o primeiro a ser encaminhado a São Paulo, em jato fretado. Permanecerão em Campo Grande as córneas e um dos rins. O outro rim será enviado a São Paulo em voo comercial. Por meio de aeronave da FAB (Força Aérea Brasileira) será enviado o fígado para o Acre e o pâncreas também para São Paulo.

A vítima, um homem de 30 anos, faleceu em decorrência de um acidente de motocicleta, ocorrido na Capital. Ele sofreu um traumatismo craniano encefálico, que evoluiu para morte encefálica, segundo informações da assessoria de imprensa da Santa Casa.

O procedimento só é realizado após um intenso trabalho realizado jeito por equipe multidisciplinar do hospital, formada por médicos, enfermeiros, assistentes sociais e psicólogos, para repassar todas as informações aos familiares.

O acompanhamento é feito pela equipe da OPO (Organização de Procura de Órgãos) Durante o ano de 2017 foram registradas 35 doações de órgãos e captados quatro corações, quatro pulmões, 19 fígados e 56 rins. Em 2016 houveram 10 captações a menos, totalizando 25 doações. Aumento que, segundo o hospital, se deve principalmente ao consentimento dos familiares e ao empenho das equipes envolvidas nos processos.

Somente neste ano, foram realizadas 17 captações de órgãos na Santa Casa.

Balanço – O ano passado foi marcado pelo aumento no número de transplantes e captações de órgãos feitos na Santa Casa. Ao todo foram 17 transplantes de rins e 35 captações de órgãos que beneficiaram pacientes de Mato Grosso do Sul e de outros estados.

Foram realizados pelas equipes de urologia e nefrologia do hospital, 14 transplantes com doadores falecidos e três com doadores vivos. Em relação à 2016, quando foi retomado o procedimento de transplante na instituição, houve aumento de 750%, no qual foram realizados apenas dois procedimentos, um com doador vivo e outro com falecido.

O hospital também deve retornar, em breve, os transplantes de coração em breve.