Brasil cria mais de 33 mil empregos formais em maio, diz Temer

Resultado do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados de maio foi anunciado pelo presidente da República.

Michel Temer: criação de novas vagas em abril chegou a quase 116 mil, dado que foi comemorado pelo presidente - Foto: Andre Coelho/Bloomberg/Bloomberg

A economia brasileira gerou mais de 33 mil empregos com carteira assinada em maio, informou o presidente Michel Temer por meio de sua conta no Twitter.

Os dados, que são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), foram divulgados nesta quarta-feira (20).

Quando o país cria vagas de trabalho em um determinado período, significa que as contratações superaram as demissões.

O mês de maio foi o quinto seguido com abertura de vagas com carteira assinada. O último resultado negativo, com mais demissões que contratações, foi em dezembro do ano passado (-328.539 vagas fechadas).

O número de criação de empregos formais, porém, apresentou desaceleração frente aos últimos meses. Em janeiro, foram abertas 77,8 mil vagas, passando para 61,1 mil empregos formais em fevereiro, para 56 mil empregos em março e para 115 mil vagas em abril.

Já em maio do ano passado, segundo números oficiais do governo, foram abertas 34.254 vagas com carteira assinada na economia brasileira.

"Acabo de receber os números do Caged. Foram criados mais de 33 mil empregos formais no mês de maio no Brasil, com destaque para o Sudeste e Nordeste. No acumulado do ano, passamos de 380 mil novos postos de trabalho, informou Temer.

No ano de 2017 fechado, a economia brasileira fechou 20.832 postos de trabalho formais. Foi o terceiro ano seguido em que houve mais demissões do que contratações no país. Entre 2015 e 2017, o país fechou um total de 2,88 milhões de postos.

Os números detalhados sobre a criação de empregos formais na economia brasileira em maio deste ano ainda não foram divulgados oficialmente pelo Ministério do Trabalho. O resultado deve sair ainda nesta quarta-feira.