Isolamento do Coronel Nunes é decisão dele, diz futuro presidente da CBF

Rogério Caboclo também confirma que despachou para o Brasil o assessor que quebrou um copo na cabeça de um torcedor.

Simpósio da Conmebol em Moscou reuniu nomes como Trezeguet, Sorín e Rueda - Foto: Thiago Dias

D O GloboEsporte.com apurou com várias fontes na CBF que o sumiço do Coronel Nunes foi planejado para evitar novos constrangimentos. A Conmebol pediu a saída de Nunes do Conselho da Conmebol. Situação que a CBF tenta contornar.

Rogério Caboclo confirmou ainda que despachou de volta para o Brasil o "assessor da presidência" Gilberto Barbosa, o homem que quebrou um copo da cabeça de um torcedor que hostilizou o Coronel Nunes num restaurante de São Petersburgo.

– É algo que a gente não tem como controlar, né? – comentou o diretor-executivo da CBF sobre o episósio.

iretor-executivo de gestão da CBF, chefe de delegação da seleção brasileira nesta Copa do Mundo e presidente eleito para assumir a entidade em abril de 2019, Rogério Caboclo disse neste sábado em Moscou que o isolamento do atual mandatário, Antonio Carlos Nunes, é uma decisão do próprio dirigente.

Depois de ter traído um acordo com a Conmebol e votado no Marrocos para ser sede da Copa de 2026, o Coronel Nunes não apareceu mais publicamente na Rússia e não deu declarações.

– É uma decisão dele – disse Caboclo, durante um simpósio da Conmebol em Moscou (no qual o atual presidente da CBF não compareceu).