Pelo terceiro mês consecutivo Sidrolândia registra redução de empregos e perde mais 78 vagas

Nos últimos 90 dias (entre 1º de março e 30 de maio), 917 trabalhadores foram demitidos ou pediram demissão.

Comércio de Sidrolândia - Foto: Marcos Tomé/Região News

O mercado de trabalho em Sidrolândia ainda não dá sinais de recuperação e pelo terceiro mês consecutivo, registra redução de empregos com carteira assinada. Os dados do CAGED (Cadastro Geral de Empregos e Desempregados) referentes ao mês de maio mostram que no período, foram registradas 256 contratações e 334, demissões, “desaparecimento” de 78 oportunidades formais de trabalho.

O setor de serviço respondeu pelo fechamento de 29 vagas e a agricultura, por 33, enquanto o comércio fechou 15 vagas. Nos últimos 90 dias (entre 1º de março e 30 de maio), 917 trabalhadores foram demitidos ou pediram demissão, ante 730 contratações, com a perda 187 vagas. 

Este resultado negativo impactou diretamente o saldo dos primeiros cinco meses de 2018, que resultou no fechamento de 44 vagas de trabalho, bem diferente de igual período de 2017, quando foram abertas 156 vagas. O número de demissões passou de 1.298 para 1.452 enquanto as contratações caíram de 1.454 para 1.408. 

O setor industrial, que encerrou 2017, com expansão das vagas (433 novas oportunidades), decorrência principalmente das contratações do Frigorifico Balbinos, que começou a funcionar em dezembro, nos primeiros cinco meses, registrou o fechamento de 14 vagas.  Nesta mesma época do ano passado, houve a  criação de 419 vagas.

Dados estaduais

De janeiro a maio de 2018 foram gerados 1.503 empregos a mais em Mato Grosso do Sul em relação ao mesmo período do ano passado. Nos cinco primeiros meses de 2018, o saldo acumulado de criação de vagas com carteira assinada no Estado foi de 5.524, ante 4.021 criadas no mesmo período de 2017.

O resultado representa um aumento de 37,3% na geração de emprego no Estado, segundo os dados da Carta de Conjuntura do Mercado de Trabalho no mês de maio, elaborada pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro).

“Os destaques no mês de maio foram para os setores ligados a Serviços, com 266 novas vagas geradas, principalmente em Administração Imobiliária com 185 e Ensino com 132 novas vagas. Em termos de municípios, o destaque é para Campo Grande que acumula de janeiro a maio deste ano a criação de 1.453 novas vagas”, comenta o secretário da pasta, Jaime Verruck.

O resultado isolado no mês de maio de 2018, de acordo com os dados da Carta de Conjuntura extraídos do Cadastro Geral de Emprego e Desemprego do Ministério do Trabalho e Emprego (Caged-MTE), indica que foram fechados 287 empregos formais no Estado. Os setores que mais fecharam vagas foram o da Agropecuária (380 vagas) e da Indústria (231 vagas) em maio. No acumulado dos últimos 12 meses, Mato Grosso do Sul apresentou uma redução de 5.058 empregos formais.

O município de Campo Grande apresentou melhor resultado com geração de 1.453 novos postos de trabalho, seguido de Sonora com 553 novos postos de trabalho. Os piores resultados verificados para Cassilândia, com fechamento de 464 empregos formais e Três Lagoas com redução de 408 empregos formais.