Câmara entra em recesso amanhã sem votar contas de Daltro que pode ser candidato e dar palanque a André

Daltro pode ter sua candidatura a deputado homologada em julho, quando PMDB faz convenção para oficializar a candidatura de Puccinelli.

Câmara de Sidrolândia faz amanhã, terça-feira (25), a última sessão ordinária antes do recesso parlamentar de julho - Foto: Marcos Tomé/Região News

A Câmara de Sidrolândia faz amanhã, terça-feira (26), a última sessão ordinária antes do recesso parlamentar de julho, sem ter votado o parecer prévio do Tribunal de Contas, pela rejeição das contas do ex-prefeito Daltro Fiuza referente ao exercício de 2008. Com isto, o ex-prefeito pode ter sua candidatura a deputado homologada em julho, quando o PMDB faz convenção para oficializar a candidatura ao Governo de André Puccinelli. Fiuza candidato, garantiria um palanque forte para Puccinelli na cidade, onde perdeu as últimas eleições.

Para que o parecer do Tribunal seja rejeitado, são necessários 10 votos. No início da tramitação do processo o ex-prefeito só tinha quatro votos, os três da bancada do PMDB e mais o do vereador Celso Pereira, que foi seu vice entre 2000 e 2004. Se o parecer do Tribunal for mantido pelo legislativo municipal, Daltro fica inelegível por até 8 anos, com base na lei da ficha limpa.

Na semana passada, como só conseguiram quatro votos, vereadores da base do Governo desistiram de apresentar requerimento. O objetivo era anular os efeitos do requerimento do vereador Geosafá da Silva, aprovado no último dia 15, que travou a tramitação do processo até o TCE/MS responder as questões formuladas no documento encaminhado pelo Legislativo. Até os dois vereadores do PSDB, adversário histórico do ex-prefeito, não apoiaram a iniciativa dos governistas. São poucas as chances de a proposta voltar a ser apresentada nesta terça-feira.

Este requerimento, de autoria do vereador Otacir Figueiredo, com base no regimento interno, propõe que o parecer do Tribunal seja retirado da CLC (Comissão de Legalidade e Cidadania ), presidida pelo vereador Fá e volte para a Comissão de Orçamento e Finanças, comandada por Otacir, justamente quem teve a ideia de submeter o parecer ao TCE/MS a CLC, antes da deliberação do COF.

Como os conselheiros também entrarão de recesso, só a partir de agosto eles responderão se ainda cabe recurso na análise das contas do ex-prefeito no âmbito do Tribunal.