Schimidt deixa comando do PDT, nega crise e diz que fará campanha de juiz

Última medida tomada foi marcar convenção para 21 de julho.

Presidente estadual do PDT, João Leite Schmidt, renunciou ao cargo - Foto: André de Abreu/Top Mídia News

O presidente estadual do PDT, João Leite Schmidt, renunciou ao cargo alegando que irá se "dedicar diretamente" à campanha do juiz federal Odilon de Oliveira ao governo. Isso evitaria rumores de crise interna, negada pelo ex-dirigente e integrantes da legenda. Ao afastar-se, ao menos ficou definido que a convenção partidária ocorrerá em 21 de julho.

"Vou me dedicar a campanha do juiz, esse é meu propósito. Não vai haver prejuízo para ninguém", pontuou Schmidt. Uma eventual crise interna acabou negada, similar ao que fez o próprio pré-candidato Odilon ao classificá-la como "boato".

Em nota, no site do partido, houve destaque para a última medida do agora ex-presidente relacionada a convocação dos filiados para convenção no dia 21 de julho na sede da sigla em Campo Grande. Na pauta estão a análise de propostas de coligação, decisão sobre os candidatos que disputarão cargos majoritários e proporcionais, assim como a deliberação sobre os números a serem adotados pelos postulantes aos cargos eletivos.

Com a mudança ficará a cargo do deputado federal Dagoberto Nogueira, que assume a presidência e busca sua reeleição, a responsabilidade por costurar alianças pelo PDT.