Números de Ronaldo, estilo de Neymar: o mexicano que pode complicar o Brasil

Aos 22 anos, Hirving Lozano já brilhou na Copa como carrasco da Alemanha e é esperança do México.

- Foto: Reuters/Kai Pfaffenbach

Rápido, incisivo e talentoso desde cedo, Hirving Lozano, 22 anos, tem um pouco de Neymar: é o brasileiro, aliás, a principal referência do jovem atacante do México, adversário do Brasil nesta segunda-feira, às 11h (de Brasília), em Samara.

A distância entre os dois ainda é grande, claro, mas o mexicano já se faz notar: autor do gol da vitória por 1 a 0 sobre a Alemanha, na fase de grupos, Lozano foi revelado pelo Pachuca e negociado ano passado com o PSV, da Holanda.

O valor de mercado de Lozano, hoje, é cerca de sete vezes menor que o de Neymar, de acordo com o site Transfermkt: 25 milhões de euros (R$ 112 milhões) contra 180 milhões de euros (R$ 810 milhões). O PSV pagou 8 milhões de euros (R$ 36 milhões) pela contratação.

Em sua primeira temporada na Europa, já foi capaz de superar marcas que pertenciam a Ronaldo Fenômeno. A principal delas? O jogador que demorou menos para fazer dez gols pelo clube. Bastaram apenas 11 jogos, contra 12 do brasileiro. No total, foram 17 gols na temporada.

Convocado pelo técnico Juan Carlos Osorio desde 2016, Lozano se firmou aos poucos na equipe e virou titular na Copa. Depois do jogo contra a Alemanha, comemorou:

– Acho que foi o melhor gol da minha vida. Todos sonhamos em jogar uma Copa do Mundo. E ter uma estreia num Mundial com um gol tão significativo, é algo que me dá muito orgulho.

 
 

Tal qual o astro brasileiro, Lozano tem jogado aberto pelo lado esquerdo, sendo ótima opção de transição rápida ao ataque. Ele gosta de dribles e não costuma aliviar seus adversários – que por vezes se irritam. Não à toa, sofreu 11 faltas em três jogos, atrás apenas de Neymar, Messi e Cristiano Ronaldo (o argentino e o português já foram eliminados).

No entanto, ele tem os mesmos traços de cabeça quente do brasileiro. Ambos se irritam com as constantes faltas que sofrem e acabam sendo os prejudicados: Lozano foi expulso duas vezes na Holanda.

Ao canal Sky Sports, no início da Copa, Osorio disse que vê Lozano em condições de atuar na principal liga do mundo: o Campeonato Inglês.

– Desde que chegou ao PSV, ele deu um passo à frente. Sua velocidade, ritmo, capacidade de tirar adversários me fazem crer que é um jogador que vai muito longe. Ele pode, e tem as ferramentas, para jogar na Premier League – elogiou o técnico.

O estilo combativo e o sorriso constante, aliás, renderam a ele o apelido de "Chucky", em referência ao boneco assassino dos filmes. Se conseguir controlar os nervos, Lozano pode dar trabalho ao Brasil e guiar o México rumo às quartas de final nesta segunda-feira.