Griezmann explica por que não comemorou gol: 'Joguei contra amigos'

De volta às semifinais da Copa do Mundo após 12 anos, a França enfrentará o vencedor do duelo entre Brasil e Bélgica.

- Foto: Johannes Eisele/AFP

Quando o goleiro Fernando Muslera espalmou a bola para dentro de sua própria meta, Antoine Griezmann preferiu não comemorar o seu gol, o segundo da França na vitória por 2 a 0 sobre o Uruguai, nesta sexta-feira, pelas quartas de final da Copa do Mundo. Após a partida, em entrevista coletiva, o meia explicou os motivos de seu silêncio.

“Eu não comemorei o gol porque, quando comecei como jogador profissional, fui ajudado por um uruguaio que me ensinou as coisas boas e más no futebol, então tenho um respeito enorme pelo Uruguai como país. Eu também estava jogando contra amigos. Por respeito, eu pensei que era normal não comemorar meu gol”, esclareceu.

Os amigos a que Griezmann se referiu são os zagueiros Diego Godín e José Gímenez, companheiros do francês no Atlético de Madrid, da Espanha. O camisa 7, aliás, estendeu seus elogios para além do futebol.

“O Uruguai é um time difícil, que me lembra o meu clube, o Atlético, em que todos trabalham duro no ataque e na defesa. E eu acho um prazer assistir, porque é algo que vejo no dia a dia. Eu amo a cultura uruguaia e os uruguaios. Tenho muito respeito por eles”, declarou, antes de analisar o futebol de sua própria seleção.

“Não acho que a França tenha um estilo definido. Observamos o que acontece durante o jogo e temos pessoas que sabem como organizar o jogo, eles sabem quando parar e quando atacar. Quando eu tenho a bola, tento levar o jogo para aonde queremos”, concluiu.

De volta às semifinais da Copa do Mundo após 12 anos, a França enfrentará o vencedor do duelo entre Brasil e Bélgica. O duelo, valendo vaga na decisão do torneio, está marcado para a próxima terça-feira, às 15 horas (de Brasília), em São Petersburgo.