Pré-candidatos, Nelsinho e Paulo Duarte deixam cargos no governo

Conforme lei eleitoral, servidor que pretende disputar eleição precisa deixar funcionalismo três meses antes do pleito

Paulo Duarte, ex-prefeito de Corumbá e pré-candidato a deputado estadual/Nelson Trad Filho, ex-prefeito da Capital e pré-candidato ao Senado - Fotos: Anderson Gallo/Diário Corumbaense/Deurico/Capital News

Servidores de carreira do governo de Mato Grosso do Sul, os ex-prefeitos Nelson Trad Filho (PTB) e Paulo Duarte (MDB) foram afastados para concorrer a eleição de 2018, conforme publicado no Diário Oficial do Estado desta segunda-feira (dia 9). Lei obriga funcionário que quer disputar eleição a deixar o serviço público três meses antes do pleito eleitoral.

Ex-chefe do Executivo de Campo Grande, Nelsinho é pré-candidato ao Senado e, no governo, exerce o cargo de especialista de serviços de saúde. Paulo Duarte, ex-prefeito de Corumbá, é auditor fiscal. Nesta eleição, ele vai tentar uma vaga de deputado estadual, por isso a descompatibilização.

Segundo Duarte, o afastamento cumpre período da regra eleitoral e dá o início à corrida eleitoral. Em 21 de julho, os emedebistas fazem a convenção regional que oficializa as candidaturas. A chapa é encabeçada pelo ex-governador André Puccinelli, que tentará retornar ao comando do Executivo.

O ex-prefeito da Capital não atendeu a ligação. Ele, no entanto, já tem a pré-candidatura ao Senado confirmada e deve fazer parte da chapa da coligação do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), candidato à reeleição.

Marcio Souza de Almeida, agente de segurança patrimonial, também pediu afastamento para concorrer a cargo eletivo, conforme publicação do Diário Oficial.