Encapuzados, dupla assalta casa do filho de deputado e o deixa amarrado no banheiro

A suspeita é de que os bandidos escalaram o muro a partir de um terreno baldio vizinho a casa e entraram porta adentro.

Residência invadida por marginais ontem a noite. - Foto: Marcos Tomé/Região News

O produtor rural Enelvo Felini Junior, ontem à noite (9) passou alguns minutos de terror sob a mira de revólveres de dois assaltantes encapuzados. A ocorrência foi registrada por volta das 20h30, quando os marginais entraram na casa de Junior, localizada na Rua Rio Grande do Sul, levaram o dinheiro que ele tinha na carteira e vários aparelhos eletrônicos, entre eles, um televisor, um celular, além de um relógio.

Antes de fugir, os assaltantes o deixaram amarrado dentro de um dos banheiros da residência. Júnior é filho do deputado estadual Estadual Enelvo Felini e da vereadora Vilma Felini. Atualmente é o vice-presidente do diretório municipal do PSDB de Sidrolândia.

A suspeita é de que os bandidos escalaram o muro a partir de um terreno baldio vizinho a casa e entraram porta adentro, surpreendendo o produtor (que estava sozinho em casa) quando assistia TV na sala. De arma em punho eles que exigiram dinheiro e começam a procurar pela casa objetos de valor.

Junior Felini, fiiho do deputado estadual, Enelvo FeliniEnquanto durou a ação, “Juninho”, como é conhecido, procurou manter a calma e não esboçou qualquer reação, deixando os marginais com a percepção de que estavam no controle da situação. Segundo a própria vítima, preferiu se manter no banheiro, onde os marginais o colocaram, muito embora pudesse se desvencilhar facilmente já que havia sido amarrado com a própria camisa e de um cinto.

A ação durou cerca de 15 minutos quando os bandidos decidiram deixar a residência pela porta da frente levando os pertencentes da vítima. “Eles pediram a chave do portão social da casa”, conta Junior que só comunicou a Polícia Militar após os assaltantes deixarem o local.

Segundo o tenente coronel, Erivaldo José Roberto Alves, comandante da 8ª Companhia Independente da Polícia Militar de Sidrolândia, o 190 não chegou ser acionado para atender a ocorrência, razão que dificultou a ação imediata dos policiais em diligência, mas estão apurando o caso. Junior foi pessoalmente até a Base Operacional da PM registrar a ocorrência em companhia de um amigo por volta das 21h.